Deputados de GO fecham acordo para instaurar "CPI Cachoeira"

Requerimento já tem 30 assinaturas na Assembleia Legislativa; ele deve ser protocolado ainda essa semana

Wilson Lima, iG Brasília |

Carlos Costa - Ascom - AL/GO
Após divergências, deputados também vão instaurar CPI em Goiás
Após algumas divergências entre a base e a oposição ao governo Marconi Perillo (PSDB), os deputados estaduais de Goiás fecharam nesta terça-feira acordo para instaurar uma CPI na Assembleia Legislativa do Estado. O objetivo da CPI é investigar as relações entre o empresário de jogos de azar, Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, com políticos goianos.

Até a semana passada, havia a possibilidade da CPI não ser instalada por causa de um conflito de interesses entre partidos de oposição (PT e PMDB) e a base aliada (PSDB e DEM). A oposição queria investigar as relações entre Cachoeira e políticos locais a partir do controle que o bicheiro exercia em órgãos como a Secretaria de Segurança Pública de Goiás. Os aliados de Perillo queriam que a investigação partisse dos contratos da Delta Construções S/A com as prefeituras goianas. A Delta é citada pela Polícia Federal (PF) como integrante do esquema de Cachoeira.

Após várias negociações, os deputados fecharam um acordo para que a investigação aborde as duas frentes. A CPI em Goiás já tem 30 assinaturas dos 41 deputados. Eram necessárias 14 para iniciar uma investigação. A expectativa é que o requerimento unificado, agora do deputado Helder Valin (PSDB), seja protocolado ainda nessa semana.

Durante a CPI, a Assembleia Legislativa também pretende apurar indícios de irregularidades ou de tráfico de influência em contratos da Delta Construções em cidades como Goiânia, Anápolis, Aparecida de Goiás e Catalão.

Leia mais: Caso Cachoeira gera instabilidade política em Goiás

Doação: PSDB de Goiás recebeu R$ 800 mil de sócio de Carlinhos Cachoeira


    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG