Ocorrências na Favela da Vila Prudente e também da Arábia resultaram em grandes apreensões de droga com ajuda dos cães Aruck, Dara e Bart

A missão é arriscada e também muito complexa. Combater o tráfico de drogas nas milhares de comunidades de São Paulo é uma ação que parece não ter fim, mas o Canil da PM não desiste e vai minando a força dos traficantes.

Leia também: Entenda como o Comando de Choque da PM atuou na greve dos caminhoneiros

Cão Aruck do Canil da PM encontrou grande quantidade de drogas na Favela da Vila Prudente
Divulgação/Canil PMESP
Cão Aruck do Canil da PM encontrou grande quantidade de drogas na Favela da Vila Prudente

Para ilustrar essa situação, duas ocorrências do Canil da PM durante essa semana mostraram que varreduras com cães farejadores são sempre efetivas e representam impacto na contablidade das facções criminosas. Acompanhe: 

Favela da Vila Prudente

Os PMs sabem que na comunidade da Zona Leste existe um grande movimento de tráfico de drogas. A ação conjunta com a Força Tática do 21º Batalhão resultou em daus prisões a apreensão de drogas.

"Nós estávamos fazendo patrulhamento de Canil e resolvemos montar uma incursão pela favela juntamente com os Policiais de área. Assim que entramos, eles acabaram detendo um suspeito com drogas e pediram para fazer a varredura com o cão nas imediações", afirma o Tenente Fioravante.

Leia também: ROTA bate forte no tráfico: refinaria de drogas fechada e 3 traficantes presos

Rapidamente a ação do cão Aruck conduzido pelo Soldado Eduardo mostrou resultado. "O cão indicou um cômodo que estava vazio, nós entramos e ali encontramos grande quantidade de droga já preparada para venda e também mais material para embalagem", continua o Tenente.

O suspeito acabou assumindo que a droga era dele e que estava indo fazer o tráfico. "Com esse homem que foi abordado já havia uma certa quantia de entorpecentes e dentro do barraco achamos: 1.490 porções de cocaína, 1.290 de crack, 210 de skank, 2.330 de maconha e ainda material para embalagens e rádio comunicadores", revela o Tenente Fioravante.

Cão Aruck do Canil da PM no combate ao tráfico de drogas
divulgação/canil da PM
Cão Aruck do Canil da PM no combate ao tráfico de drogas

Os Policiais ainda não haviam desistido e confiando no faro do cão continuaram a incursão na favela. "Demos prosseguimento na incursão e o Aruck começou a conduzir nossa equipe no sentido de uma habitação coletiva, ele parecia indicar a presença de drogas", aponta o Tenente.

Um morador que estava na casa acabou permitindo a entrada dos PMs."Eu acho que ele pensou que a gente não iria achar nada. A gente perguntou se podia entrar e ele deixou, mas na hora que viu o cão já mudou o comportamento.O Aruck já foi direto para um local que tinha uma caixa com um fundo falso. Ali dentro, nós encontramos 3.694 kg de maconha e
2.450,00 reais. O homem confessou que comprava e revendia a droga na região", finaliza o Tenente Fioravante.

O material apreendido e os suspeitos foram encaminhados para o 56º Distrito Policial.

Favela Arábia

A incursão na comunidade da zona oeste foi rápida e certeira. Os Policiais Militares desconfiavam que existia bastante movimentação de drogas no local montaram uma incursão com duas equipes.

Leia também: COE surpreende o tráfico de drogas e deixa criminosos assustados em São Paulo

"Nós entramos na comunidade e a cadela Dara conduzida pelo Soldado João mudou bastante o comportamento dela quando passou pela porta de um barraco. Ela não queria sair dali", diz o Tenente Tongu do Canil da PM.

O barraco estava cheio de material de construção, mas de acordo com o Policiais não era habitado por ninguém.  

Dentro de uma caixa achamos quase 34 quilos de maconha. Ali era um local de armazenamento ou que os traficantes jogaram a droga quando souberam da presença das nossas equipes", finaliza o Tenente Tongu. A droga foi encaminhada para o 72º Distrito Policial.

Assista ao vídeo da apreensão:


Quais são as raças de cães que a PM usa?

São seis raças: Pastor Alemão, Pastor Holandês, Pastor Belga Malinois, Rottweiler, Bloodhound e Labrador. As missões de cada raça são divididas de acordo com suas habilidades específicas, como: faro, resistência, inteligência, agressividade, etc...

Leia também: Com força-tarefa do COE, corpo de francês desaparecido em montanha é encontrado

Cadela Dara com drogas apreendidas pelo Canil
Divulgação/Canil PMESP
Cadela Dara com drogas apreendidas pelo Canil

Um Labrador, por exemplo, não é indicado para fazer policiamento ostensivo, porque geralmente não possui a agressividade necessária. Normalmente, o Labrador é usado para farejar entorpecentes e explosivos. Já o Pastor Belga Malinois é utilizado pelo Canil da PM para policiamento e também faro. O Bloodhound tem aptidão para busca de pessoas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.