Sob o comando do Capitão Jefferson, a 5 Companhia conta com 72 Policiais Militares com um treinamento específico para garantir o combate aos crimes contra o meio ambiente e também contra o patrimônio; conheça

São 72 homens com treinamento específico, seis embarcações, três pelotões e muita disposição para cobrir os 15 municípios e mais de 600 km de extensão do litoral paulista. A PM Ambiental é a guardiã dos mares.

Leia também: Ágil e certeira, ROCAM captura e prende bandido armado no centro de São Paulo

O Policiamento marítimo conta com 6 embarcações para cuidar do litoral paulista
Divulgação/PM Ambiental
O Policiamento marítimo conta com 6 embarcações para cuidar do litoral paulista

Quando pensamos em PM Ambiental, logo lembramos dos crimes praticados contra o meio ambiente. Mas as atribuições não param por aí. "Nós fazemos a parte ambiental, como fiscalização de defeso na área de pesca, mas também atuamos na parte criminal comum, como tráfico de drogas, roubo de bancos, embarcações e combatemos a pirataria", diz o Capitão Jefferson.

O Capitão é o responsável pela 5ª Companhia, equipe específica para o policiamento marítimo. Ao todo, são três pelotões dentro da Companhia, o 1º fica no Guarujá, o 2º em Ubatuba e o 3º em Cananéia.

Leia também: Canil da PM apreende 260 tijolos de maconha e traficante terá carnaval na cadeia

"Qualquer PM pode fazer parte da nossa equipe, mas ele precisa passar por um treinamento específico para isso. Nós temos um curso de policiamento náutico com técnicas de abordagem de embarcação, curso de mergulho, trabalho em altura, tiro embarcado e outros detalhes. Tudo isso é ministrado em 28 dias", revela o Capitão. 

Nos últimos dias, a Polícia Militar Ambiental tem realizado operações pontuais que mostram a força e a importância da presença ostensiva dos PMs no litoral. Confira duas ações realizadas pela 5ª Companhia e conheça o trabalho desses bravos homens.

Confira o vídeo do treinamento


Cerco ao piratas na "Operação Netuno"

A Polícia Militar Ambiental do Estado de São Paulo deu uma forte demonstração de sua força por água, terra e ar nessa terça (19) e quarta-feira (20) durante a "Operação Netuno", realizada contra os criminosos que roubam embarcações na região da Baixada Santista.

Policiais fazem abordagem no litoral de São Paulo
Divulgação/PMAmbiental
Policiais fazem abordagem no litoral de São Paulo


As equipes comandadas pelo Coronel Alberto Malfi Sardilli estavam divididas em seis viaturas, em cinco embarcações e no helicóptero Águia 32. Ao todo, 35 Policiais participaram da ação na terça-feira (20) na comunidade de Santa Cruz dos Navegantes, no Guarujá (SP), local utilizado como rota de fuga para os chamados "piratas" que atormentam essa região.

A ação impediu crimes do tipo na área e afugentou os criminosos que atuam no litoral. "É importante salientar que a Polícia Militar Ambiental vai combater fortemente esse tipo de crime. Ainda neste ano, vamos receber R$ 10 milhões oriundos de um termo de ajustamento de conduta e com essa verba vamos comprar mais sete embarcações, inclusive uma com a cabine blindada", finaliza o Coronel Sardilli.

Combate ao tráfico de drogas

No último mês de fevereiro, a Polícia Militar Ambiental conseguiu apreender aproximadamente 27 quilos de cocaína no canal do Porto de Santos. "Na noite dessa terça-feira, a gente recebeu a solicitação de apoio da Receita Federal sobre um mergulhador que possivelmente estaria colocando algumas bolsas com substâncias proibidas para que depois essas bolsas fossem embarcadas em algum navio", revela o Tenente Lima.

Leia também: "Quis salvar vidas", lembra herói do COE que saltou no edifício Joelma em chamas

De acordo com o Policial, a droga provavelmente teria sido deixada presa de baixo do terminal, mas com a força da chuva e da maré ela acabou se soltando e foi levada para a região do mangue. "Durante o patrulhamento com a nossa embarcação, os Policiais avistaram a bolsa e foi necessário que eles tirassem todo o fardamento e entrassem na água para trazer essa bolsa. Quando ela foi aberta, nós verificamos que se tratava de 22 tijolos de cocaína", revela o Tenente.

As equipes federais e a PM Ambiental acreditam que o mergulhador levaria as bolsas com a droga até a lateral do navio. Ali, com a possível ajuda da tripulação, alguma pessoa a bordo iria fazer com que elas fossem escondidas na embarcação ou em contêineres transportados pelo navio cargueiro. A Polícia Federal vai realizar uma investigação para chegar nos criminosos que estão envolvidos na prática do crime. 

Droga apreendida pela Polícia Militar Ambiental no Porto de Santos
Divulgação/Polícia Militar Ambiental
Droga apreendida pela Polícia Militar Ambiental no Porto de Santos


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.