"Nossa que da hora, fomos presos pelo COE!"

O Comandos e Operações Especiais, unidade de elite da Polícia Militar paulista, continua desenvolvendo operações de sucesso contra o tráfico
Foto: foto: Major PM Luis Augusto Pacheco Ambar
Atirador de elite do Comandos e Operações Especiais, tropa de elite da Polícia Militar paulista

Na escuridão da noite, os dois traficantes conduzem seu comércio da morte sem preocupações. A favela possui apenas um acesso vigiado por olheiros, e seu entorno é rodeado por um relevo ondulado e acidentado de mata fechada, com um extenso brejo, um local seguro para os criminosos venderem drogas. Só que não. Esse ambiente inóspito e inacessível é exatamente onde os homens do Comando e Operações Especiais (COE), tropa de elite da Polícia Militar paulista, se sentem à vontade para operar.

Leia também: Comandos e Operações Especiais - Conheça a tropa de elite da PMSP

Totalmente invisíveis, os quatro fantasmas verdes do COE , vestindo suas fardas de camuflagem digital para selva, observam os criminosos a 30 metros de ditancia com seus visores noturnos. Em extremo silêncio o Tenente PM que comanda essa missão gesticula para que seus três Operadores o acompanhem na última fase de aproximação furtiva, antes do assalto final.

Três dias antes, no dia 24 de dezembro, um morador da favela Savoy, na zona leste de São Paulo, cansado de ver traficantes armados circulando livremente e aterrorizando as famílias locais, toma a iniciativa e faz uma denúncia detalhada das atividades dos criminosos.

“Nos dois dias seguintes fizemos um estudo do local para desmontar este ponto de tráfico. Levantamos dados e mapeamos áreas de acesso e possíveis rotas fuga. Concluímos que uma ação frontal envolvendo muitos PMs seria perigosa para a população local, além dos criminosos nos perceberem com antecedência. Decidimos por uma missão noturna de ingresso furtivo com um contingente reduzido de Policiais”, relata o Tenente PM do COE que comandou essa operação.


Operação Endurance

No início da tarde do dia 27 de dezembro um Pelotão com 18 PMs do COE usando quatro viaturas 4x4 e duas motocicletas off-road parte da Base em direção da comunidade Savoy. Às 17:00hs a equipe de assalto desembarca das viaturas e inicia uma caminhada de dois quilômetros dentro da mata para surpreender e prender os traficantes. O restante dos Policiais seguiu para as proximidades da favela, parando a uma distancia segura de forma a não serem vistos, e aguardando ordens.

Leia também: E se terroristas decidissem atacar São Paulo? O GATE resolve

A equipe de assalto era composta pelo Tenente e três Policiais, cada qual com uma especialidade. Enquanto um levava equipamentos de suporte, como itens de sobrevivência, ferramentas, material de navegação e kit de primeiros socorros, outros dois PMs usavam rifles automáticos calibre 5.56 de média distancia com mira holográfica. O quarto Policial era o atirador de elite, portando um rifle calibre 7.62 para longa distancia. Os quatro possuíam visores noturnos, pistolas calibre .40 e muita munição.

“Atingimos um ponto adequado de observação às 18:30hs e iniciamos uma avaliação tática dos próximos passos. Usando binóculos e a luneta do rifle 7.62, visualizamos a movimentação e características dos dois traficantes e o tipo de terreno que iriamos enfrentar. Definimos qual seria a rota final de aproximação e por rádio comuniquei o plano de ação para o resto do Pelotão de apoio, que estava estacionado à alguns quilômetros. Eu e meus três homens nos acomodamos na mata e esperamos em silencio por duas horas até a noite chegar”, continua relatando o Tenente.

Foto: foto: Major PM Luis Augusto Pacheco Ambar
Equipe de Policiais Militares do Comandos e Operações Especiais, revista um suspeito

Conduta de Patrulha Furtiva x Conduta de Patrulha Dinâmica

Às 20:30hs os quatro homens do COE reiniciam a aproximação furtiva e se depararam com um brejo de 300 metros de comprimento e um metro de profundidade, entre eles e a favela. Sem hesitar os quatro PMs entram na água e seguem em silencio. Ao sair do brejo, a 30 metros de distancia dos traficantes, o Tenente ordena que os rádios sejam desligados e toda comunicação passa a ser feita por gestos. Ouvindo música e conversando, os criminosos não se dão conta da presença dos quatro Policiais do COE.

“Para aquelas condições conclui que ainda estávamos longe e gesticulei para continuarmos a aproximação furtiva. Ao chegar a menos de 10 metros dos nossos alvos, paramos e fizemos a última avaliação tática. No momento adequado ordenei a transição da conduta furtiva para a conduta de patrulha dinâmica”, diz o Tenente.

A patrulha dinâmica consiste numa ação de surpresa executada de forma extremamente rápida e enérgica para paralisar e impedir a reação do alvo. O criminoso não tem tempo de pensar em usar seu armamento e menos ainda de fugir. O objetivo da patrulha dinâmica é preservar a segurança e integridade física dos Policiais e dos criminosos sem que ninguém saia ferido.

“Tudo aconteceu de forma muito rápida, conforme planejamos, sem disparar nenhum tiro. Os dois traficantes só perceberam o que aconteceu quando estavam deitados no chão, com as mãos algemadas atrás das costas. Para percorrer os 500 metros do local onde a prisão foi efetuada até a saída da Savoy, pedi apoio das nossas motocicletas off-road, já que esse trecho não comportava acesso dos nossos veículos 4x4. Os criminosos foram escoltados a pé pela nossa equipe de assalto, com uma motocicleta na frente e outra atrás, cada uma com dois PMs provendo segurança. Apreendemos 153 papelotes de cocaína, 195 pinos de crack, 144 invólucros de maconha, 79 frascos de lança perfume e R$ 1.442,35".

Foto: COE / Divulgação
Apreensão de drogas, dinheiro e celulares feitas pelo COE na favela Savoy
Foto: COE / Divulgação
Dois traficantes da favela Savoy presos pelos COE

“Tão importante como as prisões e apreesnsões é a clara mensagem que o COE manda mais uma vez para o crime: em São Paulo não existe nenhum local que a Policia Militar não possa acessar. Nosso trabalho é aplicar a lei e fazemos isso aonde e quando for necessário, sem nenhuma restrição nem exceção”, finaliza o Tenente PM do COE.

Não reclame, vote corretamente

Dentro do 53° Distrito Policial, para onde os dois criminosos foram conduzidos, um falou para outro com um tom de respeito: “Nossa que da hora, fomos presos pelo COE!”. Da hora mesmo seria se o trabalho desses Policiais Militares também fosse respeitado e honrado pelos políticos, através da produção de leis mais duras e da revisão do atual patético regime de execução penal, que em pouco tempo colocará esses dois terroristas urbanos em liberdade. O responsável por mudar esta realidade é você. 2018 é ano de eleição, invista algum tempo e pesquise no seu celular em quem votar. Em vez de reclamar e culpar terceiros, vote em pessoas honestas que defendem e aplicam valores que você pratica e demanda, não reeleja os mesmos canalhas, filhos de canalhas e netos de canalhas de sempre. Não vote nos corruptos, incompetentes, réus e condenados pela justiça.

Link deste artigo: http://ultimosegundo.ig.com.br/policia/2018-01-03/coe.html