Mais um ano de atuação da Polícia Militar, mais uma obra de arte

"CHOQUE - Work & Art", um imperdível livro de arte com mais de 160 fotos espetaculares das operações das tropas de elite da nossa Polícia Militar
Foto: foto: Major PM Luis Augusto Pacheco Ambar
livro 'CHOQUE - Work & Art' - Atirador de Elite do Comandos e Operações Especiais da PMSP

Há várias formas de se retratar a atuação da Polícia Militar do Estado de São Paulo. Uma delas é através de números e estatísticas, como por exemplo, o socorro prestado a 58.000 vítimas e a prisão de 114.000 suspeitos em 2017. Ou a redução continua nos índices de crimes violentos nos últimos 16 anos que colocam São Paulo como o estado com a menor taxa de homicídios e a maior redução de homicídios desde 2005, segundo recente estudo publicado pelo IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada).

Leia também: O dedo que puxa o gatilho de uma arma, também faz arte com um clique fotográfico

Outra forma de mostrar a competência dos nossos homens e mulheres de uniforme, responsáveis por combater a criminalidade, é através de imagens. Pelo segundo ano consecutivo, o Major PM Luis Augusto Pacheco Ambar, subcomandante do Regimento de Cavalaria, e um exímio fotografo premiado, produziu um livro de arte, com mais de 160 fotografias espetaculares, para retratar as ações dos Batalhões de Choque da nossa Polícia Militar .

“Como Policial Militar, tenho um diferencial que me dá uma vantagem sobre meus colegas fotógrafos: acesso a locais e situações que poucos possuem, seja em treinamentos ou em operações reais. Isso me permite capturar imagens que são difíceis de ser registradas e transmitir a intensidade dessa realidade tanto do ponto de vista do ineditismo como da possibilidade artística”, diz o Major Ambar.

Veja o belíssimo vídeo com algumas imagens do livro "CHOQUE - Work & Art"

Saiba um pouco mais sobre o que é o Choque nas palavras do seu Comandante, Coronel PM Alexandre Gaspar Gsasparian

"Há quase dois séculos a Polícia Militar do Estado de São Paulo é conhecida pela eficiência das suas ações legalistas no combate incondicional à criminalidade e na defesa dos valores democráticos e republicanos do nosso país. A população paulista sabe que se precisar de socorro numa emergência, pode sempre confiar na sua Polícia Militar. Mas, e se a PM tiver uma emergência, para quem recorrer? Para o Choque.

Formado por cinco Batalhões altamente especializados, a missão do Choque é atuar em situações que estão além capacidade de resolução do policiamento regular do dia-a-dia. Cada unidade do Choque é composta por um seleto grupo de Policiais Militares voluntários, que após passarem por um rigoroso processo de seleção, recebem treinamentos e equipamentos bastante específicos e diferenciados, que os capacita à resolver crises criminais complexas e de alto risco, com grande poder ofensivo contra a segurança pública.

Leia também: No Brasil não temos heróis. Errado! Conheça alguns da nossa Polícia Militar

O amplo conjunto de capacidades operacionais dos Batalhões de Choque representam uma formidável e poderosa ferramenta que habilita o Comando da PM a executar operações de combate a qualquer modalidade do crime; desde ocorrências envolvendo bombas, sequestros, cativeiros, reféns, em ambientes urbanos, rurais e de mata, por terra ar e mar, até a escolta e proteção de autoridades, contenção de rebeliões em presídios e a desestruturação de centros do tráfico de drogas e armas.

A Polícia Militar se orgulha em garantir aos paulistas que, para protege-los e aplicar a lei, seus Policiais acessam qualquer local do Estado de São Paulo, no momento que quiserem e permanecendo pelo tempo que julgar necessário. Totalmente comprometidos com a legalidade, os homens e mulheres das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar, Rondas Ostensivas Com Apoio de Motocicletas, Escolta, Controle de Distúrbios Civis, Canil, Comandos e Operações Especiais, Grupo de Ações Táticas Especiais e da Cavalaria são a garantia de que isso permaneça assim. Choque, a elite da Polícia Militar, os melhores entre os melhores!"

Link deste artigo: http://ultimosegundo.ig.com.br/policia/2017-12-13/policia-militar.html