Tartaruga 'ressuscitada' pela Polícia Militar Ambiental é devolvida à natureza

Animal foi solto nesta sexta-feira, após ser encontrado no mar com dificuldades para respirar e receber "massagens cardíacas" para seguir viva

No último mês de setembro, uma tartaruga marinha da espécie "cabeçuda" debilitada e quase morta foi resgatada pela Polícia Militar Ambiental, em Mongaguá, no litoral de São Paulo. O animal de aproximadamente 7 anos e 30 quilos apresentava dificuldades para se manter na superfície da água e respirar. 

Leia também: Polícia Militar Ambiental prende quadrilha que traficava animais silvestres

Foto: Divulgação/Polícia Militar Ambiental
Estavam na embarcação da Polícia Militar Ambiental, o Tenente Coronel Ferreira Filho, Capitão Jefferson, Cabo Simões, Cabo Genildo, Cabo Correa e o Soldado Goes (que aparece reintroduzindo o animal no ambiente marinho).

Um vídeo feito pelos próprios PMs da Polícia Militar Ambiental mostra o momento em que o animal é retirado da água e recebe a massagem dos Policiais. As imagens são comoventes e viralizaram nas redes sociais.

"É difícil saber o que realmente aconteceu. Tudo indica que ela ficou enroscada em uma rede de pesca ou em outro objeto que impossibilitasse a respiração. Ela deve ter conseguido se soltar, mas já estava com sinais de afogamento, dificuldade de respirar. Foi aí que o PM fez o resgate e um tipo de "massagem cardíaca" que foram fundamentais para a tartaruga", aponta o Tenente Coronel Ferreira Filho.

Após ser resgatado, o animal foi levado para ONG GREMAR onde ficou por cerca de dois meses recebendo os cuidados de especialistas e veterinários. No local, a tartaruga recebeu tratamento até ficar totalmente reestabelecida e poder ser solta nesta sexta-feira (10).

Duas embarcações da Polícia Militar Ambiental participaram da soltura do réptil em seu ambiente natural, ela foi libertada no Parque Estadual Marinho da Laje de Santos. A região tem uma ilha e todo o entorno dela é uma área de proteção.

"A ocorrência mostra toda a proatividade da PM desde o início do caso. Quando o Policial percebeu o perigo e resgatou o animal, a rapidez com que ele foi socorrida e levada até o continente. Depois, o período que ela passou na ONG em reabilitação. Ela chegou bem debilitada e recebeu todos os medicamentos necessários. E agora, a soltura que envolveu a Polícia Militar Ambiental, a ONG e a Fundação Florestal. Ela foi solta na Laje de Santos onde vai poder terminar sua recuperação e viver tranquilamente", disse o Tenente Coronel.

Leia também: Montados em motos ou em cavalos, Policiais do Choque atropelam criminalidade

Assista ao vídeo do momento da soltura:


Além da tartaruga 'ressuscitada', outras dois animais também foram soltos pela doutora Andrea e mais cinco veterinárias da ONG GREMAR nesta sexta-feira.

Companhia de Policiamento Marítimo

A Companhia de Policiamento Marítimo  que pertence ao 3° Batalhão de Polícia Militar Ambiental do Estado de São Paulo, com sede no município de Guarujá, conta com três Pelotões Náuticos, dispostos estrategicamente para atender os 700 km de extensão do litoral paulista e os 1.123.108 hectares de Areas de Proteção Ambiental Marinha.

Leia também: Polícia Militar Ambiental prende quadrilha que traficava animais silvestres

Com diversos tipos e tamanhos de embarcações, realizam patrulhamento em toda a costa do Litoral Paulista, bem como águas interiores e o Parque Estadual Marinho Laje de Santos a aproximadamente 45 Km de distância da costa.

Criada em 15 de Outubro de 2013, a divisão da Polícia Militar Ambiental tem por missão a proteção do meio ambiente, atuando efetivamente contra a pesca ilegal e predatória, além de combater os crimes contra o meio ambiente, atua em apoio ao policiamento territorial no combate e prevenção de crimes comuns, como furtos, roubos e o tráfico.

Assista ao momento do resgate da tartaruga:


Link deste artigo: https://ultimosegundo.ig.com.br/policia/2017-11-10/policia-militar-ambiental-tartaruga.html