Expectativa é de que depoimento de gerente ligado ao PMDB-GO ocorra apenas próximo às eleições

A Polícia Federal (PF) iniciou nesta manhã os depoimentos de 13 pessoas presas por envolvimento em suposto esquema de fraude previdenciária, cujo rombo ultrapassa os R$ 3 milhões.

De acordo com a assessoria da PF, primeiro estão sendo ouvidas aquelas com menor envolvimento no caso. Por essa lógica, o gerente executivo do INSS José Aparecido da Silva deverá ser um dos últimos a prestar depoimento.

Caso essa tendência se confirme, a provável ligação do esquema de fraude com o PMDB goiano só poderá ser comprovada muito próximo às eleições de 3 de outubro.

Indicado para o cargo do INSS pelo PMDB, desde 2006 José Aparecido apoia a candidatura de Leandro Vilela, sobrinho do ex-governador Maguito Vilela, à Câmara dos Deputados.

Os envolvidos estão sendo indiciados por estelionato, formação de quadrilha, falsificação de documentos, corrupção ativa e passiva, e advocacia administrativa.

Um 13º mandado de prisão ainda está em aberto. Os acusados estão presos na Superintendência da Polícia Federal e, à medida em que forem ouvidos, serão transferidos para a Casa de Prisão Provisória (CPP).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.