Especial seleção brasileira: Era Dunga tem renovação e bons resultados

Técnico fez da seriedade e do comprometimento com a seleção sua grande bandeira. Até aqui, tem dado certo. Será assim também no Mundial?

Marcelo Monteiro, iG São Paulo |

Passados mais de três anos desde a chegada de Dunga ao comando da seleção brasileira, apenas um terço do grupo que estava na Alemanha segue na equipe. Além do goleiro Júlio César, um dos reservas em 2006, o setor defensivo conservou os zagueiros Lúcio, Juan e Luisão.

No meio-campo, ficaram somente Kaká e Gilberto Silva, este último muito contestado pelos críticos no início do trabalho de Dunga. E, no ataque, além de Adriano, apenas Robinho ¿ reserva nos tempos de Carlos Alberto Parreira ¿ é presença constante no elenco.

Se não conseguiu virar unanimidade entre torcida e crítica, graças também ao estilo duro-na-queda, Dunga tem resultados incontestáveis. Além da classificação antecipada à Copa do Mundo, o técnico também comemorou os títulos das Copas América e das Confederações.

Para completar, venceu três dos quatro clássicos disputados contra a Argentina (dois deles por goleada, na final da Copa América e em um amistoso), goleou a Itália (3 a 0) e estraçalhou Portugal (6 a 2), ambos em amistosos. Em 52 jogos, foram 36 vitórias, 11 empates e apenas cinco derrotas.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG