Especial Fórmula 1: O fracasso dos herdeiros

Christian Fittipaldi somou 12 pontos por Minardi e Footwork, e Nelsinho Piquet acabou demitido pela Renault

Marcelo Monteiro, Francisco Luz e Felipe Paranhos |

Em 1972, mesmo ano em que Emerson Fittipaldi conquistou o primeiro título mundial, seu irmão Wilson estreou na F1, pela Brabham. O piloto teve seu melhor campeonato na categoria na temporada seguinte, pela mesma escuderia, ao anotar três pontos: um na Argentina, na prova de estreia do Mundial de 1973, e dois com o quinto lugar no GP da Alemanha, em Nürburgring.

Mas a F1 ainda teria outro Fittipaldi: Christian, filho de Wilson, correu de 1992 a 1994 e teve melhor sorte do que o seu pai, somando 12 pontos nas passagens por Minardi e Footwork. Apesar disso, seu desempenho foi muito fraco perto do que se esperava do sobrinho Emerson Fittipaldi. Em 1995, o destino de Christian foi a Champ Car.

iG
Nelson Piquet: três vezes campeão, paizão ainda não viu o filho Nelsinho brilhar

Depois dos Fittipaldi, quem viu seu sobrenome aparecer novamente na F1 foram os Piquet. Em 2008, Nelsinho estreou pela Renault, na categoria em que seu pai foi tricampeão nos anos 1980. O desempenho não foi dos piores: somou pontos (chegou a 19, no total) nos GPs da França, da Hungria e da China. Mas seus melhores resultados foram no Japão, onde terminou em quarto, e na Alemanha, onde ficou em segundo.

Além do desempenho razoável, o primeiro ano de Nelsinho na F1 ficou marcado pela polêmica em que se envolveu com a direção da Renault. Demitido pelo time francês, Piquet revelou à Federação Internacional de Automobilismo (FIA) que provocou intencionalmente o acidente que motivou a entrada do safety-car no GP de Cingapura. A batida teve como objetivo beneficiar o seu colega de time, o espanhol Fernando Alonso, que acabou vencendo a prova.

O brasileiro garantiu ter sido induzido pelo então chefe da equipe, Flavio Briatore, e pelo diretor-técnico, Pat Symonds, a provocar o acidente. Após investigar o caso, a FIA decidiu banir Briatore da F1 e das competições com a sua chancela, além de suspender Symonds por cinco anos. Nelsinho, por sua vez, foi inocentado por ter revelado a tramóia, mas recebeu críticas por ter participado do esquema. Após a saída da escuderia, o piloto fez testes na Nascar, com a Truck Series, e ainda não confirmou onde ¿ e se ¿ vai correr na temporada de 2010.

    Leia tudo sobre: automobilismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG