Consumidor da baixa renda prefere produtos ecologicamente corretos

As famílias da Nova Classe Média ganham menos de R$ 4.600, mas estão dispostas a pagar mais por um produto que não cause dano ao meio-ambiente. A preocupação com a natureza aparece em diferentes pesquisas de opinião pública.

Alexa Salomão, iG São Paulo |

No levantamento intitulado O Consumidor do Século 21, o Ibope, um dos mais tradicionais institutos de pesquisa do país, identificou que 71% dos brasileiros estão dispostos a pagar mais por um produto ou serviço que seja ambientalmente correto. Em uma pesquisa global que ouviu 11 pessoas em 22 países, a Accenture descobriu que os brasileiros estão entre os consumidores mais interessados em comprar produtos que tenham selo verde ou certificação de que amenizam as mudanças climáticas.

 Chegamos a rever os dados para confirmar o resultado, diz Marcelo Gil Souza, diretor da área de estratégia da consultoria Accenture. A partir dessa conclusão, as empresas devem rever a idéia de que consumidores de um país emergente como o Brasil preferem produtos baratos. Com boas estratégias e preços competitivos, quem apostar no verde pode ampliar seu parcela de mercado no país.

O Instituto Akatu de Consumo Consciente tem realizado pesquisas regulares sobre o tema e identificou que a postura, apesar de recente, é uma tendência. Em 2003, quando fizeram o primeiro levantamento do gênero, 19% dos entrevistados se declararam preocupados em escolher produtos que não prejudicassem a natureza. Em 2006, esse número subiu para 32%. Atualmente, 37% declaram-se dispostos a pagar mais caro para defender o meio ambiente.

Ascensão de marcas menores

Umas das poucas empresas que tem se beneficiado dessa tendência é a Química Amparo, fabricante de produtos de limpeza da marca Ypê, com sede em Amparo, interior de São Paulo. Seu principal produto desde a fundação nos anos 50 é o sabão em barra. Apesar de bem posicionada em alguns segmentos, a marca sempre foi considerada de segundo escalão, que atraia consumidores por causa dos preços mais em conta.

Sua posição no ranking dos mais vendidos começou a mudar quando a empresa decidiu investir de forma mais agressiva na imagem de empresa ecologicamente correta. Em 2007, firmou uma parceria com a ONG SOS Mata Atlântica, intensificou o lançamento de produtos amigáveis ao meio ambiente e reforçou as campanhas nas quais aparecia como marca preocupada com a natureza.

Os efeitos sobre as vendas podem ser medidos pelo rápido avanço de alguns de seus produtos, como o amaciante. Em 2007, sua marca estava entre as três mais vendidas. No primeiro semestre de 2009, assumiu a primeira posição ao ultrapassar o Comfort, da Unilever, líder de mercado há quase desde a década de 70. Há três anos a Ypê é destaque entre empresas consideradas sustentáveis, diz Augusto Geraldine, gerente de marketing da empresa. Isso tem contribuído para a valorização da marca junto as consumidoras.

Leia mais sobre consumo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG