PDT anuncia expulsão de Ari Artuzi

Decisão do partido decorre da participação de ex-prefeito de Dourados (MS) em esquema de corrupção

Celso Bejarano iG Campo Grande |

Preso há dez dias pela Polícia Federal (PF) sob acusação de chefiar um esquema de corrupção, o prefeito de Dourados (MS), Ari Artuzi, foi expulso hoje pelo comando regional do PDT.

O diretório municipal do partido também foi desfeito. Artuzi já estava na mira da chefia pedetista desde que resolveu apoiar a candidatura à reeleição do governador André Puccinelli, do PMDB.

Tanto que a nota publicada pelo presidente regional do partido, o deputado federal Dagoberto Nogueira, acerca da expulsão, cita primeiro a traição, depois o crime supostamente por ele praticado.

“Após tomarmos conhecimento dos graves acontecimentos registrados na  prefeitura de Dourados, que levaram a prisões e a divulgação de imagens chocantes, que envergonharam nosso Estado, a executiva do PDT se reuniu e decidiu pela expulsão de Artuzi”, escreveu Nogueira.

Artuzi ainda está preso e um juiz assumiu seu lugar. Ele foi preso junto com nove dos 12 vereadores da cidade, secretários municipais e empreiteiros.

O prefeito, segundo a PF, cobrava 10% dos contratos firmados entre as empresas e o município.

A trama arrecadava algo em torno de meio milhão de reais por mês, soma que era dividida depois entre Artuzi e os vereadores, conforme apontou investigação da PF.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG