Papa deve falar sobre pedofilia com bispos belgas

Cidade do Vaticano, 7 mai (EFE).- O papa Bento XVI receberá amanhã todos os bispos da Bélgica em um encontro no qual se espera que fale sobre a pedofilia dentro da Igreja Católica Hoje, o papa já se reuniu com dois bispos do país, que estão no Vaticano em cumprimento da visita que todos os bispos devem fazer ao pontífice a cada cinco anos.

EFE |

Cidade do Vaticano, 7 mai (EFE).- O papa Bento XVI receberá amanhã todos os bispos da Bélgica em um encontro no qual se espera que fale sobre a pedofilia dentro da Igreja Católica Hoje, o papa já se reuniu com dois bispos do país, que estão no Vaticano em cumprimento da visita que todos os bispos devem fazer ao pontífice a cada cinco anos. O planejamento inicial previa que Bento XVI receberia os sete bispos da Bélgica de uma vez nesta sexta-feira, mas a intensa agenda de hoje obrigou a transferência do encontro para amanhã. Um dos bispos que conversou com o papa hoje foi Koen Vanhoutte, administrador diocesano de Bruges, cuja sede está vacante depois que Bento XVI destituiu em 23 de abril seu titular, o bispo Roger Vangheluwe, de 74 anos, que reconheceu ter abusado sexualmente de um menino durante um extenso período de tempo. O arcebispo de Bruxelas e chefe dos bispos belgas, Andre Joseph Leonard, afirmou ao diário vaticano "L'Osservatore Romano" que os casos de pedofilia "são motivo de grande sofrimento e inquietação". Leonard assegurou que a Igreja belga adotou diferentes medidas para acabar com o problema e pediu às vítimas para que façam denúncias. Segundo Leonard, há 13 anos a conferência dos bispos belgas tem uma comissão para receber denúncias de comportamentos irregulares. Além do escândalo de Vangheluwe, um jornal belga publicou a denúncia de um homem que garante ter sido estuprado nos anos 80, quando tinha 15 anos de idade, por um sacerdote da diocese de Namur. Segundo o homem, Leonard, que naquela época era bispo de Namur, encobriu o caso, que está nos tribunais desde 2006. Além dos casos de pedofilia, espera-se que o papa fale sobre assuntos relacionados a bioética, eutanásia e diálogo inter-religioso. A Bélgica foi o segundo país europeu a aprovar uma lei para a eutanásia, depois da Holanda. EFE JL/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG