Papa analisa amanhã casos de pedofilia com bispos belgas

Cidade do Vaticano, 6 mai (EFE).- Bento XVI recebe amanhã no Vaticano os bispos belgas e eles devem analisar juntos as medidas para evitar abusos sexuais de clérigos a menores nesse país.

EFE |

Cidade do Vaticano, 6 mai (EFE).- Bento XVI recebe amanhã no Vaticano os bispos belgas e eles devem analisar juntos as medidas para evitar abusos sexuais de clérigos a menores nesse país. A Bélgica foi sacudida pelo caso do bispo de Bruges, Roger Vangheluwe, cassado pelo papa por pedofilia. Os religiosos estão no Vaticano desde o começo da semana para cumprir a visita quinquenal "ad limina apostolorum". Além dos abusos, os bispos devem tratar com o Pontífice de temas como bioética, eutanásia e diálogo inter-religioso. A Bélgica é o segundo país europeu a aprovar uma lei para a eutanásia e "sofre" com os escândalos de abusos sexuais por parte de clérigos, ressaltou hoje o jornal vespertino vaticano "L'Obsservatore Romano", que disse que as estatísticas mostram uma queda de 30% dos católicos em todo o país. O jornal entrevistou o arcebispo de Malinas-Bruxelas e chefe dos bispos belgas, Andre Joseph Leonard, que afirmou que os casos de pedofilia "são motivo de grande sofrimento" e "inquietação". Leonard assegurou que a Igreja belga adotou diferentes medidas para acabar com estes casos e pediu às vítimas que os denunciem perante a magistratura, "uma medida que foi muito bem recebida". Outras medidas são uma formação mais profunda dos sacerdotes e seminaristas, "começando com discernir" se são confiáveis para o sacerdócio. Leonard contou que há 13 anos a Conferência Episcopal Belga tem uma comissão para que todos que queiram denunciar um comportamento ilícito ou de abuso por parte dos religiosos possam se dirigir. O ex-bispo de Bruges, Roger Vangheluwe, de 74 anos, reconheceu recentemente que tinha abusado de um jovem quando era sacerdote e foi cassado pelo papa imediatamente no dia 23 de abril. Além do escândalo de Vangheluwe, no dia 29 um jornal belga publicou a denúncia de um homem que assegura que quando tinha 15 anos, na década de 1980, foi violado por um sacerdote da diocese de Namur, e que o atual chefe da Igreja Católica belga, Leonard, que naquela época era bispo de Namur, o encobriu. O caso está nos tribunais belgas de 2006. Os casos de pedofilia na Igreja belga se unem aos denunciados nas igrejas dos Estados Unidos, Irlanda, Alemanha, Áustria, Holanda e Itália, que colocaram à Igreja Católica em uma das crises mais graves de sua história recente. EFE JL/pb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG