Outro preso político que recusou exílio é libertado por Cuba

Com ato, restam agora sete presos políticos por libertar, dos 52 que o governo cubano de Raúl Castro prometeu

AFP |

Cuba libertou neste sábado o preso político Angel Moya, que recusou o exílio e se engava a deixar a prisão antes dos prisioneiros mais doentes, informou à AFP sua esposa Berta Soler, a número dois das Damas de Branco.

O novo preso libertado é um operário da construção de 46 anos e que cumpria desde 2003 uma pena de 20 anos.

Mais cedo, Havana havia libertado Héctor Maseda, marido da principal líder das Damas de Branco, Laura Pollán, outro preso que se negava a ir para o exílio na Espanha, conforme informou à AFP o opositor Elizardo Sánchez.

Maseda, jornalista e engenheiro eletrônico de 68 anos e que cumpria desde 2003 uma condenação de 20 anos, foi libertado no início da tarde.

Dessa forma, agora restam sete presos políticos por libertar, dos 52 que o governo de Raúl Castro prometeu tirar da prisão em um histórico diálogo com a Igreja católica cubana.

Desde o último mês de julho, quando começou o lento processo de libertações, o governo libertou 40 réus que aceitaram viajar para a Espanha, enquanto um deles ficou em Cuba e outro, que saiu da prisão na última sexta-feira, espera viajar aos Estados Unidos.

    Leia tudo sobre: CubaPresosDHpolítica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG