"Lixo Extraordinário" mantém esperança de Brasil no Oscar

Documentário sobre Vik Muniz tem chance na categoria e, enfim, estreia no país

Marco Tomazzoni, iG São Paulo |

Divulgação
O presidente da associação de catadores posa para a obra "Tião como Marat"
A lista dos filmes pré-selecionados ao Oscar de melhor filme estrangeiro deixou de fora "Lula, o Filho do Brasil", mas o país ainda tem uma chance de participar da festa. "Lixo Extraordinário", que estreia nesta sexta-feira (21) em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Salvador, é um dos 15 documentários que ainda estão na luta por uma vaga entre os indicados da categoria . A direção é dividida entre a britânica Lucy Walker e os brasileiros João Jardim ("Pro Dia Nascer Feliz", "Janela da Alma") e Karen Harley.

Coprodução entre Brasil e Inglaterra, o filme registra o trabalho do artista plástico brasileiro Vik Muniz no Jardim Gramacho, maior aterro sanitário do mundo, na região metropolitana do Rio, e como a vida dos catadores foi afetada. Muniz é, talvez, o brasileiro mais badalado no universo das galerias e leilões internacionais, famoso principalmente por reproduzir pinturas consagradas com materiais inusitados – lixo, por exemplo. A princípio, "Lixo Extraordinário" seria sobre a obra do artista, mas, como ele próprio explica diante das câmeras, decidiu-se que o espaço seria utilizado para documentar seu novo "trabalho social" (leia entrevista com Vik Muniz no Festival do Rio ).

Apesar do sucesso do filme no circuito internacional – já ganhou prêmios de público em Sundance e Berlim –, João Jardim contou ao iG no Festival de Brasília , onde concorria com o longa "Amor?", que permanece cético quando a uma indicação na Academia de Hollywood. “Os produtores estrangeiros estão fazendo uma campanha forte. Acho muito difícil, mas tem uma chance pelo tema, que envolve meio ambiente e arte. Além disso, é muito emocionante para o público internacional. A gente está acostumado a ver aquelas pessoas morando no lixo, ao contrário dos estrangeiros.”

O diretor, que acabou se afastando do projeto por compromissos profissionais, concordou que a montagem de “Lixo Extraordinário” enaltece a figura de Muniz, rapaz humilde da periferia paulistana que, ao se mudar para Nova York, conquista o sucesso e volta para ajudar os necessitados. “Isso é coisa do produtor”, explicou Jardim. “O projeto era fazer o filme ter sucesso, se comunicar, e aí precisava de um protagonista forte, de um herói. 'Lixo' tem a curva dramática de um filme de ficção e essa construção é muito eficaz. Do ponto de vista autoral, de uma obra de arte, pode ser questionável, mas acho o filme bom, tem muito valor.”

O iG assistiu a "Lixo Extraordinário" no Festival de Paulínia, onde ganhou o Prêmio Especial do Júri e de melhor documentário do Júri Popular. Leia a crítica aqui .

Assista ao trailer de "Lixo Extraordinário":

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG