Kodak quer retirar seu nome de teatro do Oscar

Em crise, companhia pede rescisão de contrato de patrocínio; Academia cogita nova casa

EFE |

Getty Images
Fachada do Kodak Theatre, em Los Angeles
A empresa de fotografia Eastman Kodak, em moratória desde 19 de janeiro , solicitou o fim do contrato de patrocínio pelo qual dá nome ao teatro que sedia a cerimônia de entrega do Oscar, informou o "The Wall Street Journal".

Siga o iG Cultura no Twitter

A companhia buscou os tribunais para encerrar o acordo assinado em 2000, pelo que batizaria o famoso teatro de Hollywood durante os 20 anos seguintes em troca de US$ 75 milhões. Os gerentes da Kodak acreditam que, devido a sua situação econômica crítica, os juízes permitirão a rescisão.

O juiz Allan L. Gropper, do tribunal especializado em quebras de Manhattan, em Nova York, se pronunciará sobre o caso em uma audiência marcada para 15 de fevereiro, apenas 11 dias antes da cerimônia do Oscar 2012 .

O teatro Kodak, propriedade da imobiliária CIM Group, foi inaugurado em novembro de 2001 e virou sede das cerimônias do Oscar já no ano seguinte. Caso os tribunais concordem com a rescisão, restaria ao CIM Group buscar outra empresa para rebatizar o famoso teatro. A organização do Oscar, no entanto, tem o direito de vetar o futuro patrocinador se considerar que ele não encaixa com a cerimônia.

Paralelamente, a Academia de Hollywood e o CIM Group mantêm conversas para determinar se o Oscar continuará tendo o teatro Kodak como sede depois de 2013.

A Eastman Kodak, com cerca de 130 anos de história, usou em 19 de janeiro o Capítulo 11 da Lei de Quebras dos Estados Unidos para reestruturar seus negócios.

Leia também: Academia pode tirar Oscar do Kodak Theatre

    Leia tudo sobre: oscarkodakkodak theatre

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG