Colin Firth desaprova versão de "O Discurso do Rei" sem palavrões

Estúdio estuda cortar filme para ter classificação para crianças de 13 anos

iG São Paulo |

Colin Firth, vencedor do Oscar 2011 de melhor ator, se mostrou contrário a uma nova versão de "O Discurso do Rei" sem palavrões. Após a cerimônia de entrega do prêmio, onde "Discurso" foi coroado como melhor filme, o ator comentou a ideia do estúdio Weinstein Company de cortar o filme para ganhar a classificação para crianças de 13 anos.

"O filme tem integridade, as cenas têm um propósito", comentou sobre os momentos em que seu personagem, o rei George 6º, fala diversos palavrões durante a terapia com Lionel Logue para se livrar da gagueira. "É a linguagem de um homem tentando se livrar de um problema. Não conheço ninguém que tenha ficado ofendido com ela", ressaltou em entrevista ao jornal LA Times.

A opinião de Firth se junta à de Tom Hooper, vencedor doOscar de melhor diretor pelo filme, que também desaprova os cortes. O ator, no entanto, fez questão de deixar claro que defende os palavrões apenas enquanto arte. "Não uso este tipo de linguagem normalmente. Quando levo meus filhos a jogos de futebol odeio que eles ouçam estas palavras", comentou.

    Leia tudo sobre: oscar 2011colin firtho discurso do rei

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG