Oliver Stone é barrado no aeroporto sem visto

O cineasta americano Oliver Stone teve de cancelar a entrevista coletiva para promover no Brasil seu documentário

EFE |

O cineasta americano Oliver Stone teve de cancelar a entrevista coletiva com a qual pretendia promover no Brasil seu documentário "Ao Sul da Fronteira", devido a um atraso em seu voo e por ter ficado retido cerca de duas horas no aeroporto de São Paulo por não ter visto de entrada no país.

Stone ficou retido nesta segunda-feira à noite na alfândega do aeroporto de São Paulo até que a Polícia Federal concedesse a ele o "desembarque condicional", uma autorização para permanecer até sete dias no país, informou hoje a imprensa local. Por sua política de reciprocidade com os Estados Unidos, o Brasil exige visto aos cidadãos americanos para entrar no país.

O premiado diretor de cinema previa participar da exibição do filme em São Paulo e conceder uma entrevista coletiva em São Paulo para promover seu documentário sobre o avanço das forças de esquerda na América Latina com presidentes como Luiz Inácio Lula da Silva e o venezuelano Hugo Chávez.

Segundo colaboradores do cineasta, ele deve viajar hoje a Cochabamba (Bolívia) para prosseguir sua viagem de promoção do documentário. É provável que retorne a São Paulo nesta mesma semana para pelo menos conceder a entrevista coletiva.

Além de Lula e Chávez, "Ao Sul da Fronteira" também aborda a chegada ao poder dos presidentes Cristina Kirchner (Argentina), Raúl Castro (Cuba), Evo Morales (Bolívia), Fernando Lugo (Paraguai) e Rafael Correa (Equador). EFE cm/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG