New York Times - Mundo - iG" /

Zimbábue prende jornalista do New York Times

Um jornalista do New York Times foi preso no Zimbábue, acusado de trabalhar sem o credeciamento apropriado. Barry Bearak, que é ganhador do Prêmio Pulitzer, foi detido no seu hotel, o York Lodge, em Harare, freqüentado por correspondentes.

BBC Brasil |

A polícia do Zimbábue informou que prendeu dois homens, e que ambos teriam desrespeitado a lei de imprensa do país.

A Casa Branca, em Washington, expressou preocupação com as prisões e afirmou que jornalistas devem ser livres para trabalhar.

O Ministério do Exterior em Londres está investigando informações de que o outro detido seria um cidadão britânico.

Um dos funcionários do hotel, entretanto, informou ao The New York Times que seis pessoas ao todo foram detidas.

Além da operação da polícia no hotel York Lodge, o partido oposicionista Movimento para a Mudança Democrática (MDC, na sigla em inglês) informou que seus escritórios foram saqueados na quinta-feira.

No último sábado o país votou nas eleições presidencial e parlamentar. O resultado das eleições presidenciais ainda não foi divulgado, mas o partido do governo perdeu a maioria no Parlamento do país.

Reunião
O presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, convocou uma reunião com seu partido para decidir como reagir aos resultados da eleição presidencial, que ainda não foram oficialmente divulgados.

Uma das autoridades do partido do governo afirmou à BBC que a votação do último sábado acabou em "empate".

Já o partido de oposição, Movimento para a Mudança Democrática (MDC, na sigla em inglês), informou que pretende pedir à Suprema Corte do país para ordenar a divulgação imediata dos resultados da votação.

A oposição afirma que seu candidato, Morgan Tsvangirai, conseguiu 50,3% dos votos, o bastante para elegê-lo e evitar um segundo turno que ocorreria em duas semanas.

Uma projeção independente afirma que Tsvangirai conseguiu apenas 49% dos votos, abaixo do necessário para uma vitória já no primeiro turno, e que Mugabe teria conseguido 42%.

Parlamento
Pela primeira vez desde a independência do Zimbábue, em 1980, o partido do presidente, Robert Mugabe, perdeu a maioria no Parlamento.

Mugabe não é visto em público desde o dia das eleições. Aos 84 anos, ele governa o Zimbábue desde a independência do país, em 1980, e busca um sexto mandato.

Segundo os resultados oficiais das eleições parlamentares, divulgados nesta quarta-feira pela Comissão Eleitoral do Zimbábue, o partido de Mugabe, o Zanu-PF, conquistou 97 das 210 cadeiras.

O oposicionista MDC ficou com 99 assentos no Parlamento.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG