Zimbábue libera transações em moeda estrangeira

O ministro das Finanças em exercício do Zimbábue, Patrick Chinamasa, anunciou nesta quinta-feira que os negócios no país poderão passar a ser feitos em outras moedas, e não somente em dólares zimbabuanos. Até agora, apenas estabelecimentos licenciados podiam aceitar moedas estrangeiras, apesar de a prática ser comum.

BBC Brasil |

"Em linha com práticas comuns da população em geral, o governo está permitindo o uso de diferentes moedas estrangeiras em transações comerciais, ao lado do dólar zimbabuano", disse o ministro, ao apresentar o orçamento anual ao Parlamento.

A medida do governo é mais um esforço para conter a crescente inflação no país africano, que já chega a 231.000.000% segundo dados oficiais, um recorde mundial.

Com essa inflação, a moeda zimbabuana praticamente não tem valor. Recentemente, foi lançada a nota de 100 trilhões de dólares zimbabuanos.

Salários
Professores, médicos e funcionários públicos já fizeram greve para protestar contra seus salários, que apesar de valerem trilhões de dólares zimbabuanos, não são suficientes nem mesmo para pegar o ônibus.

Antes do anúncio, as lojas no Zimbábue já exigiam cada vez mais pagamento em dólares americanos.

No ano passado, o Banco Central do Zimbábue teve de cortar 10 zeros de sua moeda em um esforço para combater a hiperinflação.

Segundo o correspondente da BBC na África do Sul, Peter Biles, ao adotar a nova medida, o governo do Zimbábue admite seu fracasso na luta contra a inflação.

Crise
A crise política resultante da polêmica eleição presidencial do ano passado agravou ainda mais as dificuldades econômicas no país.

Um surto de cólera que tomou o país nos últimos meses tornou a situação ainda pior. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 3 mil pessoas já morreram vítimas da doença.

Nesta quinta-feira, o Programa Mundial de Alimentos da ONU alertou que 7 milhões de pessoas - mais da metade da população do Zimbábue - devem precisar de ajuda alimentar para sobreviver nos próximos meses.

Em mais um sinal de agravamento do que a agência da ONU classifica de "situação dramática", a taxa de desemprego no Zimbábue aumentou para 94%.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG