Zimbábue: Justiça adia decisão sobre apuração de votos

A Justiça do Zimbábue irá anunciar na segunda-feira a decisão sobre um pedido apresentado pelo partido de oposição Movimento para Mudança Democrática (MDC, na sigla em inglês) para que o resultado das eleições presidenciais seja divulgado imediatamente. O juiz encarregado no Tribunal de Harare, Tendai Uchena, afirmou que irá considerar o argumento da Comissão Eleitoral, do governo e da oposição para tomar a decisão.

BBC Brasil |

A audiência foi realizada depois que o jornal estatal Sunday Mail informou, neste domingo, que o partido Zanu-PF, do presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, havia pedido o adiamento da divulgação dos resultados das eleições presidenciais no país e uma recontagem dos votos.

De acordo com a imprensa estatal, o partido pediu uma recontagem alegando "erros de cálculo".

O partido de oposição condenou o pedido, dizendo que ele é ilegal. O MDC acredita que seu líder, o candidato Morgan Tsvangirai, teria sido o vencedor das eleições presidenciais, realizada há oito dias, e acusa o governo de atrasar a divulgação dos resultados em uma tentativa de permanecer por mais tempo no poder.

As eleições presidenciais e parlamentares do país aconteceram no dia 29 de março. O partido do governo de Robert Mugabe perdeu a maioria no Parlamento, mas os resultados da eleição presidencial ainda não foram divulgados.

Pedido irregular
Em uma matéria publicada em seu site, o jornal estatal Sunday Mail disse que o Zanu-PF pediu à Comissão Eleitoral do Zimbábue que revise a contagem dos votos.

A carta afirma que foram detectadas anomalias em vários distritos eleitorais."Por causa das anomalias, o partido também pediu que a comissão adie o anúncio do resultado da eleição presidencial."
O secretário-geral do MDC, Tendai Biti, disse que o partido governista não tinha o direito de pedir uma recontagem.

"O decreto (eleitoral) diz que você pode pedir uma recontagem durante 48 horas após o início da contagem", disse Biti.

"A contagem ocorre nos postos de votação, então é em 48 horas a partir deste momento."
De acordo com documentos enviados à comissão eleitoral pelo Zanu-PF, o número de votos para Mugabe registrados em vários postos eleitorais foi reduzido antes de ser enviado às autoridades eleitorais.

"Como vai ficar claro em breve, as autoridades dos distritos eleitorais cometeram erros de cálculo tão evidentes para prejudicar não apenas nosso candidato como também seus concorrentes", afirmou a carta do Zanu-PF, segundo o Sunday Mail.

"Não pode haver dúvidas de que todos os resultados da eleição presidencial nos quatro distritos eleitorais de Mberengwa são grosseiramente irregulares e não podem ser mantidos em um exame mais detalhado."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG