Zimbábue consegue quase US$ 1 bi da China para se reerguer

Harare, 30 jun (EFE).- O líder do Movimento para a Mudança Democrática (MDC) e primeiro-ministro zimbabuano, Morgan Tsvangirai, anunciou hoje que o Governo de união nacional que lidera conseguiu linhas de crédito de US$ 950 milhões da China para reconstruir a economia.

EFE |

Em seu primeiro dia de trabalho após retornar de uma viagem de três semanas por várias capitais, onde tentou obter ajuda para atenuar a grave crise econômica e financeira no país, Tsvangirai disse que o ministro das Finanças, Tendai Biti, tinha assegurado as linhas creditícias chinesas.

Tsvangirai, que voltou nesta segunda-feira ao Zimbábue, disse que tinha recebido promessas de ajuda de US$ 500 milhões dos Governos dos países visitados.

Mas os fundos prometidos a Tsvangirai não serão postos à disposição direta do Governo. O primeiro-ministro especificou que as promessas financeiras dos países ocidentais só serão cumpridas "quando o Zimbábue restaurar a democracia e melhorar a situação de direitos humanos".

Segundo Tsvangirai, nas reuniões que manteve em Berlim, Bruxelas, Estocolmo, Londres, Paris e Washington, os líderes ocidentais expressaram dúvidas sobre o ritmo das reformas no Zimbábue e sobre s demora para implementar totalmente o Governo de união nacional.

Após uma década de crise política, surgida em atos de violência durante as eleições presidenciais de 2008, o Zimbábue formou em fevereiro passado o Governo de coalizão, mas o MDC ainda não conseguiu que, entre outras coisas, o presidente Robert Mugabe ratificasse a nomeação de cinco governadores provinciais e liberasse todos os presos políticos. EFE rt/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG