Zimbábue confirma oposição na frente, mas quer 2º turno

Quase cinco semanas depois da votação, as autoridades eleitorais do Zimbábue divulgaram nesta sexta-feira o resultado das eleições presidenciais realizadas no dia 29 de março, e os números indicam que um segundo turno será necessário.

BBC Brasil |

Segundo os resultados oficiais, Morgan Tsvangirai, do Movimento para a Mudança Democrática (MDC, na sigla em inglês), obteve 47,9% dos votos, e o atual presidente Robert Mugabe, 43,2%.

Como nenhum dos dois obteve os 50% necessários para uma vitória no primeiro turno, uma nova votação será realizada. A comissão eleitoral diz que o segundo turno das eleições deve ocorrer dentro de três semanas.

O MDC rejeitou os resultados, e Tsvangirai disse que não participará do segundo turno porque já obteve a votação necessária para vencer as eleições. A oposição acusa o presidente Mugabe de fraude e intimidação.

O secretário-geral do MDC, Tendai Biti, disse à BBC que o processo de verificação dos resultados foi "interrompido prematuramente" e que o partido está tentando "expor fraudes".

Biti disse que Tsvangirai "venceu as eleições sem a necessidade de segundo turno" e que o partido irá à Justiça para que o oposicionista seja declarado presidente com base no fato de que conseguiu mais votos do que Mugabe.

O vice-ministro da Informação, Bright Matonga, disse que Mugabe aceita participar do segundo turno.

Saiba mais sobre: Zimbábue

    Leia tudo sobre: zimbábue

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG