Zimbabuanos não compreenderão veto às sanções, diz ministro britânico

Londres, 11 jul (EFE).- O ministro de Exteriores britânico, David Miliband, mostrou hoje sua decepção com o veto imposto na ONU pela China e Rússia às sanções contra o Zimbábue, e assinalou que os zimbabuanos acharão que medida incompreensível.

EFE |

O veto da Rússia e China evitou ontem à noite que o Conselho de Segurança das Nações Unidas ditasse sanções contra o regime do presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, para obrigá-lo a negociar com seus opositores uma saída para a grave crise política que o país africano atravessa.

Em comunicado, Miliband disse hoje estar "muito decepcionado" com a falta de uma resolução da ONU "forte e clara" sobre o Zimbábue.

"Será incompreensível para o povo do Zimbábue que a Rússia, que se comprometeu no Grupo dos Oito (G8) alguns dias atrás a tomar medidas, incluindo financeiras e de outros tipos, se opusesse a uma iniciativa decisiva e oportuna do Conselho de Segurança", disse.

"Eles também não entenderão o voto chinês", acrescentou o ministro.

A resolução redigida pelos Estados Unidos obteve nove votos a favor, uma abstenção e cinco contra, entre eles os da Rússia e China, membros permanentes do Conselho de Segurança e com poder de veto.

Este resultado é um forte revés para o primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, que acreditava ter assegurado o apoio suficiente para aprovar a resolução durante a cúpula do Grupo dos Oito (G8, os sete países mais industrializados e a Rússia) no Japão.

EFE jm/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG