TEGUCIGALPA (Reuters) - O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, tentará retornar ao país se as conversas de mediação para recolocá-lo no poder fracassarem no sábado, disse sua esposa nesta sexta-feira. O tempo acaba amanhã, disse à Reuters Xiomara Castro de Zelaya em entrevista na capital hondurenha, Tegucigalpa, na véspera das negociações na Costa Rica. Ele tem que voltar ao país. Ele tem que vir publicamente.

Ela não deu nenhuma indicação sobre quando isso ocorreria, mas acrescentou que ele não negociará sua exigência central de ser recolocado na Presidência para completar seu mandato.

Zelaya foi deposto em um golpe de Estado em 28 de junho.

(Reportagem de Simon Gardner e Esteban Israel)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.