Zelaya visita o Brasil dia 12, diz governo brasileiro

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, visitará o Brasil no dia 12, informou à Reuters nesta segunda-feira uma fonte do governo brasileiro. Segundo essa fonte, o objetivo do Brasil é fazer com que a pressão contra o golpe de Estado ocorrido em Honduras permaneça na agenda dos países da região, já que o assunto está saindo de pauta.

Reuters |

Nesta tarde, o Ministério das Relações Exteriores informou que convidara Zelaya a visitar o país e que a data estudada era essa, mas não confirmou quando a viagem seria realizada.

Agora, no entanto, já consta da agenda do presidente Luiz Inácio Lula da Silva uma reunião com Zelaya na tarde do dia 12.

Ao lado da comunidade internacional, o Brasil tenta pressionar o governo interino presidido por Roberto Micheletti a aceitar a restituição do poder a Zelaya. Até o momento, porém, o governo do presidente Lula não ocupou um lugar de destaque nos esforços para solucionar a crise política daquele país.

O presidente da Costa Rica, Oscar Arias, tem feito a mediação entre Zelaya e Micheletti, conversas que, por enquanto, não renderam resultados positivos.

Em entrevista concedida no domingo à televisão venezuelana Telesur, Zelaya disse que visitará o México e talvez viajasse ao Brasil.

Ele foi retirado do poder por militares no dia 28 de junho e expulso do país, quando pretendia realizar uma consulta popular sobre a possibilidade de se reeleger. Seus opositores consideraram a iniciativa uma tentativa do então presidente de se perpetuar no poder e desrespeitar a Constituição do país.

O presidente deposto passou mais de uma semana na fronteira entre Honduras e Nicarágua, ameaçando retornar ao seu país, mas não levou a ideia adiante.

(Reportagem de Fernando Exman)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG