Zelaya responsabiliza chefe militar hondurenho caso venha a ser morto

Manágua - O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, confirmou nesta terça-feira na Nicarágua que voltará a seu país a partir de hoje e responsabilizou o chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas hondurenhas, general Romeo Vásquez, caso venha a ser morto.

EFE |

"Eu responsabilizo, por minha vida, por minha segurança, o general Romeo Vasquez", afirmou Zelaya em entrevista coletiva concedida na embaixada de Honduras em Manágua.

    Leia tudo sobre: exércitogolpehonduras

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG