Zelaya prepara Exército popular e Nicarágua denuncia treinamentos

Ocotal (Nicarágua), 30 jul (EFE).- O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, anunciou que hoje começará a organizar um Exército popular e pacífico na fronteira nicaraguense, integrado por militantes leais, com o objetivo de retornar a seu país para reverter o golpe de Estado que o tirou do poder há um mês.

EFE |

"Começaremos com a etapa de capacitação. A melhor forma é que os 5 capacitadores que já os temos capacitem mais 20, em vez de trazer tantos capacitadores, e esses 20 a 40 pessoas", explicou o líder, na noite da quarta-feira, durante um comício com 300 militantes, na cidade fronteiriça de Ocotal.

O governante deposto, em discurso divulgado hoje pelo "Channel 4", ligado ao Governo, afirmou que sua luta será pacífica e que os membros do agrupamento "usarão as armas da inteligência e da razão".

Segundo Zelaya, os treinamentos serão realizados em granjas que o governante deposto administrará nos arredores da localidade fronteiriça e que, a partir de hoje, começa "a etapa de capacitação, de formação ideológica, formação política", mas não esclareceu se haveria treinamento militar.

No entanto, o deputado do Partido Liberal Constitucionalista, Carlos Gadea Avilés, denunciou hoje à Agência Efe, que seguidores de Zelaya já estão sendo treinados para controlar a vigilância à zona fronteiriça e que recebem capacitações ideológicas em granjas na fronteira nicaraguense.

Zelaya está em Ocotal desde sexta-feira e segundo o deputado Gadea Avilés é protegido por dezenas de policiais nicaragüenses.

Segundo informou o canal oficial do Governo, Zelaya está em uma reunião a portas fechadas em Manágua, com o embaixador dos Estados Unidos em Honduras, Hugo Llorens, sem dar mais detalhes. EFE egr/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG