Zelaya pode ser anistiado após solução de crise, diz Judiciário de Honduras

Tegucigalpa, 7 jul (EFE).- O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, pode receber anistia política, mas esta é apenas uma possibilidade após a resolução da crise vivida no país após sua derrubada pelos militares, disseram hoje fontes da Suprema Corte de Justiça hondurenha.

EFE |

A informação foi confirmada pelo porta-voz do Supremo, José Danilo Izaguirre, explicou à Agência Efe depois de a anistia ter sido mencionada pelo presidente desse organismo, Jorge Rivera, à imprensa estrangeira.

Izaguirre explicou que a "decisão (de decretar a anistia) será tomada pelo Congresso Nacional caso a considere oportuna".

O porta-voz ratificou que, como declarou Rivera em entrevista publicada hoje pelo "El Diario de Hoy" de El Salvador, a eventual anistia para Zelaya só seria para os crimes políticos, e não para os delitos penais.

Rivera esclareceu que "a verdadeira resolução será tomada na comissão formada e orientada pelo presidente da Costa Rica, Óscar Arias".

Arias será o mediador do conflito político de Honduras e ofereceu seu país como sede para as negociações, anunciou hoje em Tegucigalpa o novo presidente hondurenho, Roberto Micheletti. EFE lam/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG