Zelaya pede que hondurenhos impeçam eleições de novembro

18:23 TEGUCIGALPA (Reuters) - O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, pediu nesta sexta-feira à população que impeça as eleições presidenciais de novembro, alegando que serão usadas pelo governo interino para se legitimar e não pagar pelo golpe que o destituiu.

Reuters |

O presidente, deposto sob a mira de armas em 28 de junho, está visitando países da América Latina em busca de apoio para sua recondução ao cargo e condenação do governo interino de Roberto Micheletti.

"O povo não deve permitir essas eleições para legitimar o grupo golpista porque eles estão negociando com os candidatos dos grandes partidos com o objetivo de legitimar seu processo golpista e saírem impunes", disse Zelaya em entrevista por telefone a uma rádio local, falando do Chile.

Zelaya não esclareceu de que maneira a população poderia impedir a realização das eleições, marcadas para 29 de novembro.

As autoridades eleitorais mantiveram o cronograma da votação, convocada antes do golpe de Estado, e os candidatos se preparam para o início da campanha, tentando se esquivar do tema da crise política.

Os principais candidatos são Porfirio Lobo, do Partido Nacional, opositor de Zelaya, e Elvin Santos, do Partido Liberal, do presidente destituído. Santos foi vice-presidente de Zelaya, mas se opunha a sua ideia de realizar uma consulta popular que abriria caminho à reeleição.

Zelaya, que em sua turnê foi recebido pelos presidentes do Brasil, México e Chile, recordou que a comunidade internacional concordou em não reconhecer os resultados das eleições enquanto ele não for restituído ao cargo.

(Reportagem de Fabián Cambero)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG