Zelaya pede ações mais firmes contra golpe em Honduras

O presidente hondurenho deposto, Manuel Zelaya, reclamou nesta terça-feira uma posição mais firme de Estados Unidos e dos demais países da América contra o governo de fato de Honduras, durante sua visita ao México.

AFP |

O governo dos "Estados Unidos tomou decisões (...) mas não são suficientes e será preciso endurecer ainda mais tais ações, do mesmo modo que nos demais países da América", disse Zelaya em entrevista coletiva.

Na área econômica, Honduras depende dos Estados Unidos "em grande medida, em cerca de 70 ou 80%", e Washington "teria apenas que fazer assim", disse Zelaya fechando a mão.

Sem o dinheiro dos Estados Unidos para "a atividade comercial, militar e migratória, este golpe duraria cinco minutos".

Zelaya estimou que o tempo de sua volta ao governo de Honduras não deve susperar 15 dias. "No meu conceito (...) o prazo para minha restituição não deve passar de um par de semanas".

gvb/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG