Zelaya insiste na renúncia de Micheletti após reunião com enviado americano

TEGUCIGALPA - O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, reiterou na noite de terça-feira que a renúncia do governante de facto, Roberto Micheletti, é necessária para superar a crise política hondurenha, após um encontro com o número dois da diplomacia americana para a América Latina, Craig Kelly.

AFP |

Zelaya afirmou que o governo dos Estados Unidos não reconhece o regime de facto de Micheletti, instalado após o golpe de Estado de 28 de junho, que desatou a crise política no país da América Central.

"A posição deles (Estados Unidos) continua sendo a mesma. Eles desconhecem o governo do senhor Micheletti, ratificou o embaixador (americano em Honduras, Hugo) Llorens, deram um golpe de Estado, e há estado de direito", disse Zelaya à rádio Globo.

"É necessário buscar uma saída pacífica e política para a crise e a saída de Micheletti é um fato necessário", completou Zelaya, que está na embaixada do Brasil em Tegucigalpa desde 21 de setembro.

Craig Kelly, subsecretário de Estado adjunto para a América Latina, não fez declarações à imprensa após o encontro com Zelaya na representação diplomática brasileira.

O enviado americano se reunirá nesta quarta-feira com Micheletti e com o presidente eleito de Honduras, Porfirio Lobo.

Leia mais sobre Honduras

    Leia tudo sobre: honduras

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG