O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, disse neste sábado, ao chegar para a Assembléia Geral extraordinária da OEA em Washington, que está otimista com a reação internacional ao golpe de Estado.

"Estou muito otimista porque todo mundo está repudiando estes atos" do governo interino de Honduras, disse Zelaya, que planeja voltar a Honduras neste domingo.

Pouco tempo depois, o secretário-geral da OEA, Jose Miguel Insulza, defendeu a suspensão de Honduras do organismo.

A Assembléia Geral extraordinária conta com a presença dos presidentes de Argentina, Cristina Kirchner, e Paraguai, Fernando Lugo; e o líder equatoriano, Rafael Correa, deve chegar à capital americana na manhã de domingo.

Zelaya foi preso por militares e expulso do país no domingo passado, por ter tentado organizar um referendo sobre a possibilidade de um segundo mandato presidencial, medida considerada ilegal pela Suprema Corte.

gde/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.