O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, escolheu voltar em segredo a seu país para evitar fatos de violência, segundo um comunicado da embaixada hondurenha em Manágua.

O presidente deposto, que se encontra na sede da embaixada brasileira em Tegucipalga, afirmou que a estratégia usada "foi muito correta para não provocar qualquer indício de violência", segundo o comunicado.

"É um acontecimento muito importante, agora que se reúnem os presidente das Nações Unidas esta semana, na qual espero ter o apoio e resoluções contundentes tanto das Nações Unidas quanto da OEA para que este diálogo seja frutífero e que voltem a paz e a tranquilidade depois de 86 dias de luta de resistência".

jr/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.