Zelaya diz que OEA que não reconhecerá resultado de eleições em Honduras

Washington, 1 set (EFE).- O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, afirmou hoje que os países-membros da Organização de Estado Americanos (OEA) não reconhecerão o processo eleitoral, nem os resultados do pleito de novembro no país, se forem realizados sob o atual Governo, liderado por Roberto Micheletti.

EFE |

"Os países manifestaram hoje que não estão dispostos a reconhecerem nem o processo, nem os resultados" das eleições previstas para o dia 29 de novembro, em Honduras, explicou Zelaya, depois de se reunir com o secretário-geral da OEA, José Miguel Insulza, e o Conselho Permanente do organismo.

O líder deposto disse que a comunidade internacional não pode permitir "extravagâncias", como aceitar eleições realizadas "sob sangue de fogo e baionetas", e durante as quais o presidente esteja "expatriado" de seu próprio país.

Zelaya se mostrou "plenamente confiante" de que todos os países vão "denunciar" e "condenar" as eleições de novembro.

"Não podemos nos permitir esse tipo de extravagâncias na democracia da América Latina", afirmou.

Zelaya assegurou, além disso, que os 33 Estados-membros ativos da OEA defenderam um endurecimento das medidas contra o Governo de Micheletti.

"Todos se manifestaram em prol de endurecer mais as medidas contra o regime" atual em Honduras, afirmou, sem especificar os tipos de ações. EFE cai/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG