Zelaya denuncia ação policial em embaixada do Brasil em Honduras

TEGUCIGALPA - A polícia de Honduras lançou nesta terça-feira bombas de gás lacrimogêneo contra manifestantes do lado de fora da embaixada do Brasil em Tegucigalpa, onde o presidente deposto, Manuel Zelaya, refugiou-se depois de voltar secretamente ao país.

Reuters |

Um fotógrafo da Reuters disse que policiais lançaram as bombas para dispersar centenas de manifestantes pró-Zelaya, e que ao menos dois artefatos foram jogados dentro do terreno da embaixada. Zelaya acusou a polícia de atacar a embaixada do Brasil.

"Estão atacando a embaixada brasileira, com sons estridentes para enlouquecer quem está aqui, a embaixada está sendo atacada com bombas", afirmou Zelaya em declarações a rede de tevê venezuelana Telesur. "Dispersaram a balas uma manifestação pacífica", acrescentou.

O retorno clandestino de Zelaya, a quem o governo em vigor pediu a entrega por parte do Brasil para que seja preso, reascendeu os temores de violentos protestos nas ruas.

Zelaya convocou seus seguidores a irem a sede da embaixada do Brasil na capital hondurenha para que manifestassem e fez um chamado para que as forças armadas de seu país respeitassem o povo.

"A embaixada está cercada de policiais e militares... prevejo ataques mais agressivos e violento, que serão capazes de invadir até a embaixada do Brasil", disse Zelaya.

    Leia tudo sobre: zelaya

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG