Zelaya conclama rebelião de militares em Honduras

TEGUCIGALPA (Reuters) - O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, convocou no domingo os soldados e oficiais de alto escalão a rebelar-se contra a cúpula militar que o expulsou do país há quase um mês com um golpe de Estado. Zelaya está na Nicarágua, em Ocotal, perto da fronteira com Honduras, avaliando estratégias para regressar ao país e retomar o poder.

Reuters |

"Essa cúpula militar deve ter logo ... uma reação dos militares que estão nas diferentes brigadas", disse Zelaya em Ocotal, em declarações transmitidas pela rádio local Globo.

"Como comandante-geral das Forças Armadas peço aos militares patriotas que pensem em seus filhos, que pensem em sua família, que se rebelem contra Romeo Vásquez", afirmou, referindo-se ao chefe do Estado Maior das Forças Armadas de Honduras.

Vásquez foi destituído por Zelaya poucos dias antes do golpe, depois que militares se recusaram a mobilizar urnas para uma consulta popular com a que o presidente pretendia abrir caminho para sua reeleição presidencial.

O chefe militar foi restituído pela Suprema Corte de Justiça dois dias antes do golpe de Estado.

(Reportagem de Marco Aquino)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG