imediatamente em Honduras - Mundo - iG" /

Zelaya afirma ter meios para entrar imediatamente em Honduras

Yalagüina (Nicarágua) 24 jul (EFE).- O presidente deposto de Honduras Manuel Zelaya disse hoje em Yalagüina, na Nicarágua, que possui meios aéreos e terrestres para entrar imediatamente no país com bandeiras brancas da paz.

EFE |

O líder, em entrevista coletiva concedida na estrada desta localidade, que fica no norte da Nicarágua, afirmou ter várias opções para entrar no país.

"Eu posso agora me aproximar de Las Manos, mas também posso me dirigir a El Espino ou Guasaule, mas, neste momento, vou para Las Manos (postos fronteiriços nicaraguenses)", afirmou Zelaya.

Ele disse que, em Yalagüina, onde os habitantes o receberam, está organizando o programa de sua volta a Honduras, mas denunciou que os militares hondurenhos "estão reprimindo (seus seguidores) que viajam às fronteiras com Honduras, El Salvador e Guatemala".

Yalagüina fica localizada 20 quilômetros de distância do posto fronteiriço de Las Manos.

"Temos a opção de entrar por qualquer destes postos fronteiriços, como Las Manos, e nem o Exército nem a Polícia devem restringir a livre circulação do povo hondurenho que avança em direção a setores fronteiriços", disse Zelaya.

"Temos o direito e dever moral de chegar hoje a Honduras e tenho diferentes aparelhos aéreos e terrestres para entrar por qualquer dessas fronteiras", reafirmou o presidente deposto.

Enquanto Zelaya concedia sua entrevista coletiva, diferentes personalidades, como os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e do Uruguai, Tabaré Vázquez, ligaram para ele para expressar apoio para que seja restituído no cargo.

O líder deposto voltou a pedir aos seguidores para não se renderem perante a repressão e disse aos soldados que os fuzis sejam usados para defender o povo, e não contra a população.

"Atendam às minhas instruções, porque sigo sendo o comandante-em-chefe do Exército", insistiu Zelaya.

"São uns bárbaros, são uns tiranos, mas estamos dispostos a abrir um precedente para que este golpe não se repita", respondeu Zelaya quando perguntado sobre sua opinião em relação às ordens das autoridades hondurenhas para ampliar o toque de recolher.

O novo Governo de Honduras implementou um novo toque hoje que começou a vigorar ao meio-dia (15h de Brasília) em suas fronteiras com a Nicarágua e El Salvador, perante a eventual chegada de Zelaya.

"Não tenho medo (desse toque de recolher), porque o povo poderá passar para a fronteira, já que o povo tem direito à insurreição", ressaltou o presidente deposto.

"Se estão me escutando em Honduras por algum meio, já que há censura, digo a todos que o que o Governo de fato faz é nulo e podem chegar à fronteira", acrescentou. EFE fm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG