Zardari pede aos EUA tecnologia para ataques com aviões não tripulados

Islamabad, 7 jan (EFE).- O presidente do Paquistão, Asif Ali Zardari, criticou hoje os ataques de aviões não tripulados dos Estados Unidos contra alvos insurgentes dentro de seu território e pediu que Washington ceda essa tecnologia para que as próprias forças de segurança paquistanesas executem essas ações.

EFE |

"Os ataques com aviões espiões em território do Paquistão minam o consenso nacional na guerra contra a insurgência", declarou Zardari, segundo um comunicado divulgado por seu gabinete.

O presidente paquistanês fez estas declarações durante uma reunião com uma delegação americana liderada pelo senador e ex-candidato à Presidência dos EUA John McCain, que chegou a Islamabad depois de passar por Cabul.

Horas antes de seu encontro com Zardari, durante uma entrevista coletiva em Cabul, McCain considerou os ataques como "efetivos" e defendeu sua continuação no combate à rede terrorista Al Qaeda nas áreas tribais paquistaneses,.

Zardari transmitiu à delegação americana a necessidade de que Islamabad e Washington construam "uma relação a longo prazo baseada no respeito e na confiança", segundo a nota oficial.

Ontem, 17 supostos extremistas morreram em dois ataques consecutivos de aviões espiões contra um complexo da insurgência talibã na região tribal do Waziristão do Norte, na fronteira com o Afeganistão.

Pelo menos 44 ações similares ocorreram em território paquistanês durante 2009, embora os números de mortos civis e insurgentes variem dependendo da fonte.

O Governo paquistanês não reconhece oficialmente a colaboração com Washington neste tipo de ataques, mas os serviços de inteligência dos dois países compartilham informações para efetuar estas ações, segundo fontes dos serviços secretos consultadas pela Agência Efe. EFE igb/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG