Zapatero prevê dificuldades para crescimento econômico da Espanha

San Salvador, 31 out (EFE) - O presidente do Governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, previu hoje dificuldades muito sérias para a Espanha continuar crescendo economicamente, mas afirmou que a crise será vencida com uma resposta coordenada e desdobrando um leque de políticas sociais.

EFE |

Zapatero se referiu à situação da economia espanhola na entrevista coletiva concedida em San Salvador ao fim da 18ª Cúpula Ibero-Americana ao ser questionado pelos últimos dados do Banco da Espanha.

Segundo esta instituição, a economia espanhola registrou no terceiro trimestre de 2008 uma queda de 0,2%, a primeira em 15 anos, e o desemprego crescerá nos próximos meses.

Para Zapatero, esses dados vêm a confirmar a tendência registrada em todos os países por causa da "gravíssima" crise do sistema financeiro internacional, que causou retração do crédito e minou a confiança de investidores e consumidores.

Após considerar lógico, por isso, que caia o consumo e a demanda, o líder espanhol se mostrou convencido de que a crise será superada e, para isso, a comunidade internacional deve trabalhar de forma conjunta para enfrentar os problemas que afetam diretamente os cidadãos.

Em conseqüência, ressaltou que a Espanha deve trabalhar em coordenação com a Comissão Européia (CE, braço Executivo da União Européia), momento no qual lembrou que na segunda-feira se reunirá em Madri com o presidente desta instituição, José Manuel Durão Barroso.

Zapatero assegurou que o Governo acompanha atentamente a evolução de todos os dados econômicos, entre os quais disse que há sinais positivos, como a queda da inflação em um ponto ou a redução do euribor.

Em sua opinião, isso facilitará os empréstimos entre bancos e repercutirá no pagamento de hipotecas.

"Se tivermos uma inflação em torno de 3% ou abaixo desse número, isso estimulará o consumo, aliviará a pressão sobre os preços e a capacidade aquisitiva das famílias e permitirá um cenário para trabalhar com mais força na recuperação em 2009", acrescentou.

Tudo isso tendo consciência, destacou, que haverá um período de estagnação econômica com "dificuldades muito sérias" para crescer economicamente, mas sabendo que há um leque de políticas sociais que será ampliado no futuro e que a Europa está comprometida para fazer frente à situação.

Zapatero explicou que, atualmente, o objetivo fundamental de seu Governo é garantir a política social. EFE bb/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG