Zapatero planeja instituir política econômica comum na UE

Madri, 5 jan (EFE).- O chefe do Governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, acha que a União Europeia (UE) deve exercer sua liderança política e promover uma gestão econômica comum que fortaleça a posição e a influência do bloco.

EFE |

Nesta terça-feira, Zapatero se reuniu na sede do Governo, em Madri, com o ex-chefe do Governo Felipe González, o ex-presidente da Comissão Europeia Jacques Delors, o ex-comissário europeu e ex-vice-presidente econômico Pedro Solbes e sua segunda vice-presidente e ministra da Economia, Elena Salgado.

A reunião teve como objetivo analisar a situação econômica da UE no início do semestre em que o bloco será presidido pela Espanha.

Durante o encontro, os participantes trocaram ideias sobre medidas que pretender tomar e confirmaram a recuperação econômica dos 27 países-membros da UE.

Fontes do Governo espanhol informaram à Agência Efe que os participantes da reunião concordam que existe liderança política na UE. Porém, na opinião do grupo, é preciso exercê-la em nome de uma política econômica comum.

As fontes do Governo acreditam que esta política conjunta já demonstrou ser possível e eficaz. Como exemplo, lembraram a atuação da UE quando, no segundo semestre de 2008, foi constatada a crise econômica e financeira internacional.

Naquele momento, o bloco tomou uma série de medidas que, para Zapatero e seus assessores, foram eficazes no combate à crise e serviram para impulsionar as políticas econômicas europeias.

"Demonstrou-se que há uma base política entre os países da UE para impulsionar essa política econômica comum europeia", resumiram as fontes do Executivo espanhol sobre a reunião realizada em Madri.

Agora, Zapatero, González, Delors, Solbes e Salgado vão defender o fortalecimento de "uma governança econômica europeia" com decisões que levem em conta a complexidade do mercado interno.

Eles também vão trabalhar com mais afinco em uma política energética comum e apostar em pesquisa, desenvolvimento e inovação.

O objetivo de tudo isso, segundo eles, é que a UE melhore sua competitividade diante dos Estados Unidos e de potências emergentes como Brasil, China e Índia.

Para Zapatero e os especialistas, é muito mais difícil para cada país europeu competir individualmente com essas potências. Por isso, o melhor seria fazê-lo de maneira coordenada.

Na opinião dos participantes da reunião, este é um desafio que deve estimular a elaboração de uma nova estratégia que substitua aquela conhecida como "Estratégia de Lisboa", um plano para o desenvolvimento da UE aprovado em 2000.

Ao término do encontro, não foi fixada uma data para novas discussões sobre o assunto, mas todos os presentes continuarão em contato e, se necessário, se reunirão novamente.

O ex-presidente do Governo espanhol Felipe González preside o grupo de reflexão da UE que deve apresentar durante o semestre da Presidência espanhola uma série de ideias sobre o futuro da UE. EFE BB/sa-sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG