Zapatero e líder da oposição vão a velório de vítima do ETA

Bilbao (Espanha), 19 jun (EFE).- O presidente do Governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, e o líder da oposição e presidente do Partido Popular (PP), Mariano Rajoy, foram hoje ao velório do inspetor da Polícia Eduardo Antonio Puelles García, assassinado pelo ETA no País Basco, no norte da Espanha.

EFE |

Zapatero e Rajoy, que nos últimos anos mantiveram uma relação difícil por causa da política relacionada ao ETA, viajaram no mesmo avião de Madri a Bilbao.

Depois, chegaram separadamente ao velório, realizado na sede da Subdelegação do Governo, com poucos minutos de diferença.

Zapatero chegou acompanhado do novo presidente regional basco (lehendakari), o socialista Patxi López, membro de seu partido e que governa no País Basco graças a um acordo alcançado nessa região com o PP de Rajoy.

O pacto entre os dois principais partidos da Espanha permitiu que López governasse e pôs fim a quase três décadas de Governos nacionalistas no País Basco, região do norte onde surgiu, há 40 anos, a organização terrorista ETA, que quer a independência da região.

As diferenças entre o Governo socialista e o PP sobre o grupo terrorista foram eliminadas depois que Rodríguez Zapatero descartou empreender outro processo de diálogo com a organização terrorista no futuro, depois de uma fracassada tentativa em 2006.

Os conservadores reprovaram o processo iniciado depois que o ETA proclamou um cessar-fogo, que o grupo rompeu com um atentado envolvendo um carro-bomba, no aeroporto de Barajas, em Madrid, no dia 30 de dezembro de 2006, que matou dois imigrantes equatorianos e abriu um período de grande tensão política entre o Governo e a oposição.

O atentado de hoje, feito com uma bomba colocada embaixo do automóvel do inspetor Eduardo Antonio Puelles García, de 49 anos, ligado à luta antiterrorista no País Basco, foi o primeiro com vítimas mortais neste ano.

Em 2008, o ETA assassinou quatro pessoas. Com a morte de Pueles, elas se somam às mais de 850 que foram vítimas do grupo terrorista em seus 40 anos de atividade.

Os cidadãos bascos foram hoje convocados pelo lehendakari a expressar sua repulsa ao ETA, neste sábado, em uma manifestação nas sedes das instituições, programada para o meio-dia, e outra em Bilbao pela tarde. EFE nac/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG