Madri, 19 jun (EFE).- O presidente do Governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, disse hoje que a normativa de retorno de imigrantes não depende das leis, mas da cooperação diplomática entre países.

Para Zapatero, a normativa aprovada pelo Parlamento Europeu "não obriga, mas limita" o tempo máximo de retenção dos imigrantes.

Sobre o projeto de normativa de retorno de imigrantes irregulares, que define que os "imigrantes ilegais" podem ficar retidos nos países da União Européia (UE) por um período máximo de 18 meses durante o trâmite de repatriação, Zapatero afirmou que "põe limites a algumas das coisas que alguns países faziam em matéria de retorno".

O chefe de Governo espanhol frisou que a repatriação de um imigrante "não está nas mãos nem do que diz uma normativa nem nas mãos do que dizem as nossas leis", mas sim "na capacidade de cooperação política e diplomática (...) com os países de origem".

Segundo Zapatero, "para devolver um imigrante ilegal, seu país tem que aceitá-lo".

Zapatero também defendeu que a política de imigração esteja vinculada ao mercado de trabalho.

Sobre a rejeição irlandesa ao Tratado de Lisboa, Zapatero disse que "não pode ser que a Irlanda, com todos os respeitos democráticos, tenha parado um projeto tão necessário" para o futuro da UE. EFE ra/wr/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.