Madri, 21 jan (EFE).- O presidente do Governo espanhol e presidente rotativo da União Europeia (UE), José Luis Rodríguez Zapatero, garantiu hoje que a Europa continuará comprometida em sua ajuda ao Haiti, após o terremoto que assolou o país caribenho.

A UE "seguirá comprometida, estará em primeira linha junto aos outros países que estão prestando apoio, cada um a partir de sua própria disponibilidade", disse Zapatero.

O presidente do Governo espanhol fez estas declarações na conferência inaugural do ano europeu contra a pobreza e a exclusão social, junto com o presidente da Comissão Europeia (órgão executivo da UE), José Manuel Durão Barroso.

Rodríguez Zapatero ressaltou, durante seu discurso, o trabalho das ONG que estão no país caribenho, que são, disse, exemplo de "solidariedade, dignidade e compromisso cidadão".

O terremoto de 7 graus na escala Richter aconteceu às 19h53 (Brasília) do dia 12 e teve epicentro a 15 quilômetros da capital haitiana, Porto Príncipe. Segundo declarações à Agência Efe, o primeiro-ministro do Haiti, Jean Max Bellerive, acredita que o número de mortos superará 100 mil.

O Exército brasileiro informou que 18 militares do país que participavam da Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah) morreram em consequência do terremoto.

Entre os civis - além da médica Zilda Arns, fundadora e coordenadora da Pastoral da Criança, e de Luiz Carlos da Costa, o segundo civil mais importante na hierarquia da ONU no Haiti -, foi informado hoje que outra mulher também morreu no tremor, aumentando para 21 o número total de vítimas brasileiras. EFE nl-arv/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.