Zapatero condena atentado da ETA que matou empresário no País Basco

Madri, 3 dez (EFE) - O presidente do Governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, condenou hoje o cruel e covarde atentado que matou o empresário basco Ignacio Uría Mendizabal, e afirmou que o grupo separatista ETA nunca imporá (ao país) suas soluções violentas.

EFE |

Para Zapatero, o fato de a organização ter assassinado um empresário "de longa trajetória que também servia à sociedade", demonstra que "os objetivos da ETA transcendem qualquer conjuntura e qualquer situação".

Em discurso à imprensa no Palácio da Moncloa, também expressou "a firme determinação" do Governo espanhol de implementar o projeto ferroviário conhecido como a "Y" basca, que pretende unir através de trens de alta velocidade as três capitais bascas com o resto da Espanha e com outros países europeus.

O empresário Ignacio Uría Mendizabal, de 71 anos, assassinado hoje a tiros na localidade basca de Azpeitia por dois supostos membros da ETA, era um dos responsáveis da empresa construtora Altuna e Uría, que participa da obra ferroviária.

O projeto já sofreu várias sabotagens e foi ameaçado diretamente pelo grupo separatista.

Em um de seus últimos comunicados, em 16 de agosto, a ETA qualificava o trem de alta velocidade de um projeto "alheio aos interesses de Euskal Herria (País Basco)".

Zapatero manifestou "a absoluta determinação do Governo de perseguir sem descanso os autores deste crime até encontrá-los, prendê-los e levá-los perante a Justiça".

Os principais partidos espanhóis expressaram hoje sua condenação ao assassinato e fizeram apelos para manter a unidade frente aos ataques da ETA. EFE mlg/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG