Yushchenko está quase livre de dioxina após envenenamento em 2004

Kiev, 2 fev (EFE).- O organismo do presidente da Ucrânia, Viktor Yushchenko, está praticamente livre de dioxina, após o envenenamento do qual foi vítima em 2004, informou hoje o médico pessoal do chefe de Estado ucraniano, Rostislav Valikhnovski.

EFE |

"Efetivamente, o organismo do presidente se encontra livre de dioxina em 95% e, graças a Deus, seu estado é normal e estável", disse o médico, citado pela agência "Unian".

Yushchenko se sente bem e se encontra em bom estado físico, acrescentou.

No início de setembro de 2004, em plena campanha eleitoral para o pleito presidencial de novembro daquele ano, Yushchenko adoeceu repentinamente e foi levado à Áustria, onde uma clínica privada detectou a presença de dioxina em seu organismo.

O presidente está convencido de que foi envenenado durante um jantar em 5 de setembro de 2004 com o estado maior do Serviço de Segurança ucraniano, herdeiro da KGB soviética.

A substância tóxica atacou o fígado, o pâncreas e a pele, provocando lesões cutâneas por todo o corpo, e, no pior momento do processo, no primeiro semestre de 2005, Yushchenko estava com o rosto desfigurado.

A Procuradoria Geral abriu uma causa por envenenamento e, em abril de 2008, informou que estudava a possível participação neste crime de entre cinco e seis pessoas.

bk-egw/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG