Yoko Ono recorre aos tribunais para defender legado de John Lennon

Los Angeles (EUA), 24 abr (EFE) - A ex-mulher de John Lennon, Yoko Ono, entrou com dois processos nos Estados Unidos para defender o legado do mais famoso dos Beatles, cuja imagem e música foram usadas recentemente em duas produções audiovisuais, informou hoje a imprensa local.

EFE |

Yoko, de 75 anos, levou perante um tribunal federal de Manhattan, em Nova York, os autores do filme "Expelled: No Intelligence Allowed", que desafia a teoria de Darwin sobre a evolução das espécies, aos quais acusou de empregar a canção "Imagine" de Lennon no filme sem sua autorização.

No processo, Yoko critica os produtores da fita por sugerir à audiência que os responsáveis pela propriedade intelectual de Lennon apoiaram o filme.

Os cineastas, por sua parte, afirmam que só usaram um trecho muito pequeno da canção.

"Nas notícias e nos documentários-filmes se usa o material da mesma forma como nós fizemos", afirmaram em comunicado os diretores a partir dos estúdios onde o filme foi produzido, Premise Media.

"O clipe de 'Imagine' foi usado como parte de um comentário social sobre a liberdade de expressão", argumentou a produtora.

Yoko insistiu em que os produtores não pediram a permissão pertinente porque sabiam que não a conseguiriam, já que não queriam pagar os direitos.

A ex-mulher de Lennon se incomodou ainda com as críticas surgidas na internet nas quais era acusada de ter vendido os direitos da música para esse projeto.

"Expelled" se encontra atualmente em cartaz nos Estados Unidos e arrecadou no fim de semana de estréia US$ 3 milhões, ficando em 10º lugar entre os mais vistos.

Ao mesmo tempo, Yoko Ono apresentou outro processo em Boston contra os criadores de um documentário no qual aparecem imagens inéditas de John Lennon nas quais o Beatle manifesta seu desejo de colocar droga no chá do então presidente dos EUA Richard Nixon.

A viúva de Lennon disse que os autores do documentário "3 Days in the Life" usaram uma rara gravação do Beatle sem seu consentimento, mas os produtores explicaram que tinham a permissão para utilizar as imagens gravadas pelo ex-marido de Yoko, Tony Cox.

O juiz terá que decidir quem possui os direitos dessa filmagem, que reivindica como própria o fã-clube dos Beatles, World Wide Video, cujos advogados disseram que compraram a filmagem de Cox em 2000 por US$ 1 milhão.

Yoko, por sua vez, diz que ela adquiriu o material original das gravações de Cox da organização World Wide Video.

As imagens correspondem a três dias do mês de fevereiro de 1970, pouco tempo antes da separação dos Beatles, que fazem parte de um documentário que estrearia no ano passado, mas a exibição foi cancelada por ordem dos advogados de Yoko.

A audiência oral deste caso ocorrerá no dia 30 de abril na Corte do Distrito de Boston. EFE fmx/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG