Xeque de Al-Azhar rejeita chamada do Egito para visitar Jerusalém

Cairo, 29 abr (EFE).- O xeque de Al-Azhar, a mais ilustre autoridade religiosa do Islã sunita, Mohammed Sayed Tantawi, rejeitou o pedido feito pelo Egito para que os muçulmanos visitem a parte árabe de Jerusalém, ocupada por Israel.

EFE |

O site "Masrawi" disse hoje que Tantawi condenou o recente convite feito pelo ministro de Assuntos Religiosos egípcio, Mohammed Hamdi Zaqzuq, para que os muçulmanos visitem a Mesquita de al-Aqsa, na parte de Jerusalém ocupada por Israel durante a guerra de 1967.

Tantawi considerou que a visita a Jerusalém "legitima a ocupação israelense" da cidade, e por esse motivo a rejeita.

"Rejeito que se visite a cidade enquanto ela estiver trancada com os cadeados da ocupação israelense", disse o xeque muçulmano.

Zaqzuq disse na semana passada durante um simpósio sobre Jerusalém no Cairo que "os muçulmanos que viajam a Meca para a peregrinação têm de visitar Jerusalém e rezar na Mesquita de al-Aqsa".

O ministro considerou que "o objetivo desta visita, inclusive com visto israelense, é enfatizar que Jerusalém não é apenas uma questão palestina, mas é um assunto islâmico que concerne a todos os muçulmanos".

Israel ocupou o setor Leste de Jerusalém na guerra de 1967 e o anexou semanas depois. Tanto israelenses como palestinos reivindicam esta localidade como sua capital. EFE nq/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG