Xeque anuncia sentença obrigando todo muçulmano a apoiar Bashir

Nuakchott, 15 mar (EFE).- O máximo xeque islâmico da Mauritânia, Ould Mohammed El Hassen Dedew anunciou hoje um fatwa (sentença religiosa) dizendo que é um dever para todo muçulmano apoiar o presidente do Sudão, Omar Hassan Ahmed al-Bashir, que tem ordem de prisão por crime contra a humanidade, pela morte de 300 mil pessoas.

EFE |

A ordem de prisão foi ditada pelo Tribunal Penal Internacional (TPI), sobre os massacres da região de Darfur, em 2003, nos quais o Governo de Bashir apoiou milícias como a Janjaweed, apontada como a maior responsável pelas mortes.

A despeito do massacre, Dedew, o mais influente xeque do país, disse que "todos os muçulmanos, governantes e governados, têm o dever, em virtude da sharia (lei islâmica), de apoiar o presidente sudanês Omar Hassan Ahmad al-Bashir, contra o TPI".

O Xeque Dedew acrescentou, citando versos do Corão, que também é "um dever para todos os muçulmanos cooperar com o Governo do Sudão, para rejeitar a 'conspiração judaico-cristã', cujo objetivo é humilhar todos os muçulmanos e assustar seus governantes". EFE mo/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG