Xangai lança campanha para incentivar o segundo filho

XANGAI - Autoridades locais de Xangai, a maior cidade da China, lançaram uma campanha para incentivar casais a terem um segundo filho, contrariando a tradicional política chinesa do filho único. A medida é uma tentativa do governo de equilibrar o envelhecimento da população e evitar a escassez de mão-de-obra no futuro.

BBC Brasil |

De acordo com o diretor da Comissão de Planejamento Familiar e Populacional de Xangai, Xie Lingli, a campanha irá incluir visitas a famílias, ampla divulgação da permissão do segundo filho e serviços de consultoria. Apenas casais formados por homens e mulheres que são filhos únicos serão qualificados a ter o segundo filho.

A política do filho único está em vigor desde o fim dos anos 70 na China e autoridades estimam que ela tenha ajudado a conter a explosão demográfica do País, evitando mais de 400 milhões de nascimentos e uma consequente escassez de recursos.

Pressão

Dados da Comissão divulgados pela agência estatal de notícias chinesa Xinhua, as famílias com apenas um filho representam 97% do total da cidade de 19 milhões.

"Xangai tem cerca de 3 milhões de pessoas com idade de 60 anos ou acima, o que representa 21,6% da população. O crescente número de aposentados irá pressionar a geração mais nova e o sistema de segurança social", disse Xie à Xinhua.

Pelo novo esquema, residentes divorciados terão direito a um filho com uma eventual nova esposa mesmo que já tenham filhos de casamentos anteriores. De acordo com o jornal chinês China Daily, a população ficou dividida sobre a nova campanha.

"Não tenho certeza, mas a política realmente nos dá mais uma opção. Se as finanças da família permitirem, quero ter dois filhos no futuro", disse um vendedor em entrevista ao jornal. A publicação cita ainda outro residente que afirma não ter gostado do novo incentivo.

População

Desde que a cidade cancelou o intervalo de quatro anos entre o primeiro e o segundo nascimento, em 2004, mais casais estão tendo o segundo filho. Segundo o governo local, o nascimento do segundo filho aumentou de 2.910 em 2005 para 3.934 em 2007.

Apesar do incentivo, Xie explica que a campanha não significa uma mudança nas políticas e regulamentos de planejamento familiar chinesas, já que apenas casais qualificados serão incentivados a ter um segundo filho.Ele afirma ainda que a população de Xangai deve ultrapassar os 19,5 milhões em 2010 e chegar a mais de 23 milhões em 2020.

    Leia tudo sobre: china

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG